Apresentado, Ramírez promete 'muitos passes para gol' no Bahia

Uma das últimas contratações do Bahia na temporada, o meia colombiano Juan Pablo Ramírez, de 23 anos, falou pela primeira vez como jogador do Esquadrão. Nesta quinta-feira (26), o atleta foi apresentado oficialmente na Cidade Tricolor e revelou felicidade por atuar no Brasileiro.

“Quando o meu empresário me disse que tinha uma oferta do Brasil, não tive dúvidas, não pensei, disse logo que sim. Sabemos da condição futebolística das equipes brasileiras, a história que tem o Brasil no futebol. Por isso disse sem pensar que sim. Eu conhecia um pouco do Bahia, que estava brigando pela Sul-Americana. Agora estou contente de chegar ao Brasil e espero mostrar um bom futebol em campo”, disse ele.

Questionado sobre as suas características, Ramírez se definiu como um típico meia construtor de jogadas, mas também afirmou que tem um bom chute de fora da área. 

“As minhas características são o passe, municiar os atacantes, os extremos, muitos passes para gols e chutes de fora da área”, descreveu o jogador. 

Apesar de ter sido anunciado pelo Bahia há mais de duas semanas, o colombiano vai demorar um pouco mais para entrar em campo e estrear com a camisa tricolor. Como testou positivo para a covid-19, ele passou um tempo em isolamento e só nos últimos dias iniciou os treinos no CT Evaristo de Macedo.

“Estou trabalhando a parte física, foram 12 ou 15 dias muito complicados porque estava afastado por conta da covid-19, mas estou me condicionando para dar 100% na parte física. Na parte técnica creio que é um pouco mais rápido para recuperar”, avaliou o meia.

Juan Pablo Ramírez foi revelado pelo Atlético Nacional-COL. Ele acumula passagens ainda por Deportivo Pasto e Atlético Bucaramanga, último clube que ele defendeu antes de chegar ao Esquadrão. O meia-atacante explicou o motivo de ter jogado apenas 20 minutos na atual temporada.

“A passagem por Bucaramanga foi complicada por conta da pandemia, acredito que foi assim para todos. Eu joguei apenas 15 ou 20 minutos de uma partida e não joguei mais. Depois disso passei uma carta de rescisão ao clube pois tinha uma oferta da Europa, mas eles não quiseram aceitar, não nos entendemos. Aí eu voltei ao Nacional, estava treinando, e agora tenho essa oportunidade no Bahia”, explicou.

Homenagem ao avô
Entre as perguntas que respondeu na apresentação, Juan Pablo explicou a origem do apelido ‘Índio Ramírez’, como ele costuma ser chamado na Colômbia. Segundo o meia, o nome é uma homenagem ao avô, responsável por criá-lo.

“Tenho o nome de índio por parte de meu avô, por toda a vida sempre o chamaram assim. Por descendência da minha família, meus tios, as pessoas, me chamaram assim. Eu gosto porque quando me chamam índio me lembra do meu avô. Eu não tenho pai, foi ele que me criou, e por isso eu gosto do nome”, finalizou o meia.

Fonte: Correio