Arquidiocese de Salvador abre inscrições para concurso de presépios

Estão abertas as incrições para o Concurso Concurso Arquidiocesano de Presépios, promovido pela Arquidiocese de Salvador. Para participar, o interessado deve realizar a inscrição até o dia 15 de dezembro, escolhendo uma das três categorias: Residencial, Paroquial ou Institucional.

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas da seguinte maneira: o interessado deve acessar o site da Arquidiocese, clicar no banner ‘Concurso de Presépios 2020’, preencher os dados e anexar três fotos do presépio montado. É importante ressaltar que as fotografias não poderão conter quaisquer informações que identifiquem o autor do presépio, como por exemplo: nome, imagem ou logomarcas.

Para cada categoria só será aceita a inscrição de um presépio por concorrente, instalado em residências, comunidades e instituições situadas nas cidades que compõem a Arquidiocese de Salvador (Itaparica, Lauro de Freitas, Salinas da Margarida, Salvador e Vera Cruz). O resultado final será divulgado no dia 18 de dezembro no site da Arquidiocese de Salvador. Para outras informações, os interessados devem entrar em contato com a Pascom através do e-mail contato@arquidiocesesalvador.org.br.

É importante ressaltar que, além de celebrar o nascimento do Menino Jesus, o Concurso de Presépios da Arquidiocese de Salvador tem como objetivo estimular a construção de presépios, despertando a criatividade e a memória das tradições populares do Natal. Para participar é necessário montar o presépio, que deverá ficar exposto até o dia 6 de janeiro de 2020 (Festa de Reis).

O presépio é a representação do nascimento de Jesus e foi montado pela primeira vez em 1223, por São Francisco de Assis. Nesse ano, em vez de festejar a noite de Natal na Igreja, como era seu hábito, o Santo celebrou na floresta de Greccio, para onde mandou transportar as imagens do Menino Jesus, de Maria e José, uma manjedoura, um boi e um burro, e utilizou essa dinâmica para melhor explicar o Natal às pessoas comuns, camponeses que não conseguiam entender a história do nascimento de Jesus.

O costume espalhou-se por entre as principais Catedrais, Igrejas e Mosteiros da Europa durante a Idade Média, começando a ser montado também nas casas de Reis e Nobres já durante o Renascimento. Em 1567, a Duquesa de Amalfi mandou montar um presépio que tinha 116 figuras para representar o nascimento de Jesus, a adoração dos Reis Magos e dos pastores e o cantar dos anjos. Foi já no século XVIII que o costume de montar o presépio nas casas comuns se disseminou pela Europa e depois pelo mundo. Também na Bahia a tradição é grande, como herança da nossa história cristã e católica.

Fonte: Correio