Investimento no turismo é prioridade para 2021, diz Marcelo Álvaro Antônio

Incentivar o turismo de proximidade – aquele feito dentro do estado ou do país – será uma das prioridades do governo federal para ajudar o setor a enfrentar a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. De acordo com o ministro Marcelo Álvaro Antônio, a retomada das viagens intermunicipais e interestaduais será incentivada no próximo ano.

Em entrevista ao programa Super N, da rádio Super, nesta sexta-feira (4), o ministro do Turismo detalhou as ações que serão tomadas para promover a circulação dos brasileiros dentro do pais. “O Ministério do Turismo tem procurado fazer a integração dos modais de transporte através do aéreo, rodoviário, fluvial e marítimo para que os turistas, neste momento de retomada, possam ter todo o conforto e a condição de viajar com a modalidade de transporte integrada”, declarou.

O incentivo ao turismo nacional, conforme titular da pasta, será importante para combater um déficit histórico comercial. Por ano, os brasileiros enviam 19 milhões de dólares ao exterior, enquanto os turistas estrangeiros deixam no país 6 bilhões de dólares. “Ou seja, existe um déficit nessa balança de 13 bilhões de dólares. Com essa pandemia, obviamente as pessoas deixaram de fazer viagens internacionais. E esse turismo de proximidade é uma oportunidade única de conhecer as belezas do nosso Brasil”, ressaltou.

Apesar do aumento dos casos de infecção pela Covid-19 em várias regiões do país, Marcelo Álvaro destacou que viajar pelo Brasil é seguro. “Quando os protocolos de biossegurança são respeitados, mostra que o turismo não é o vilão dessa história. Mas que tem total capacidade de preservar a segurança dos turistas”, disse ao programa da rádio Super.

A concessão de alguns parques mineiros, anunciada pelo governador Romeu Zema (Novo) esta semana, também foi outro assunto abordado pelo ministro do turismo. Marcelo Álvaro Antônio destacou ser favorável a privatização e reforçou que quanto mais áreas verdes terceirizadas, melhor para o turismo local. “Estamos muito aquém do potencial que temos”, disse. 

Crítica de Bruno Engler
 
O ministro do Turismo comentou sobre a polêmica envolvendo o PSL nas eleições municipais de BH. O partido não apoiou o candidato Bruno Engler (PRTB), escolhido como representante de Jair Bolsonaro (sem partido) no pleito da capital mineira. 
 
Engler acusou Marcelo Álvaro Antônio de ser o responsável pelo afastamento do PSL, mas o ministro disse que foi o candidato que rejeitou o PSL depois de conquistar apoio de outros dois partidos. 
 
No entanto, os dois partidos teriam abandonado Engler, momento em que ele procurou auxílio do PSL que, por sua vez, já havia declarado apoio a João Vítor Xavier (Cidadania). “Bruno desdenhou do PSL e disse que não precisaria do partido. (…) O Bruno Engler perdeu o apoio não por culpa do ministro, mas por inabilidade própria”, disse.
 
Apesar do embate, Marcelo Álvaro Antônio declarou que vê um futuro promissor para Engler. Na última eleição, a primeira que disputou o cargo de prefeito, o candidato de 23 anos ficou em segundo lugar na votação.

Com a concessão, segundo ele, a iniciativa privada terá que investir nos parques, o que atrairá mais visitantes. Estruturar trilhas, melhorar sinalização, implantar atrativos, como tirolesa e lojas de conveniência, foram algumas das vantagens citadas pelo ministro. 

“Todo mundo ganha. O estado ganha um ponto turístico mais estruturado. A iniciativa privada tem a oportunidade de desenvolver ali uma atividade comercial turística, gerando emprego e renda para a população. E a população ganha com esse emprego e essa renda. Os turistas ganham com um destino mais estruturado”, pontuou.

Fonte: Agencia Brasil