O dia em que Lázaro Ramos conheceu “falsas baianas” em New York

Em 2008 durante a realização da 24ª edição do Brazilian Day em New York  dia 31 de setembro, A Banda Eva com Saulo Fernandes, Lulu Santos e Jorge Benjor foram as atrações. André Marques e Fernanda Lima foram os  apresentadores e os atores Flávia Alessandra e Lázaro Ramos subiram ao palco  como convidados do evento.

E foi nesse ano, também, que a baiana Silvana Magda realizou pela primeira vez a Lavagem de New York, um dia antes no sábado arrastando uma multidão pelas ruas da cidade que nunca dorme. Também no sábado aconteceu a Feijoada do evento na churrascaria Plataforma do empresário e promotor do Brazilian Day, João de Mattos em parceria com a Globo.

Além de Saulo e da Banda Eva, a Bahia estava muito bem representada por Lázaro Ramos. Eu já o conhecia. Fui apresentado a ele, em Salvador, por um amigo em comum: Amaury Oliveira da Bi produções onde Lázaro fez alguns trabalhos antes de estourar nacionalmente. Na feijoada estávamos presentes. Aí foi aquela festa quando os baianos se encontram.

A tarde estava animada a gente tomado um caldinho de feijão, petiscando antes de cair matando na feijoada carioca. Até que chegaram algumas baianas bem vistosas que estavam fazendo a recepção. Elas se aproximaram da gente até que começamos a perguntar de que lugar da Bahia elas eram. Ai que vem a parte mais engraçada da história: uma era do Rio de janeiro, outra de Minas Gerais, tinha até uma da Espanha. E a que mais se aproximava era a bela Luanda Linch filha de Silvana, mas que nasceu em New York.

Com aquele seu jeito moleque, Lázaro virou para mim e sacou: “Você viu Marrom. Não tem uma baiana original. Tudo falsa baiana”. E caímos às gargalhadas. Fora o fato de não terem nascidas na Bahia, elas estavam bem vestidas e se a gente não tivesse a curiosidade de perguntar passaria batida a história. Mas ficou tudo numa boa. Fomos, enfim, saborear o feijão e depois cada um seguiu seu rumo para o hotel  onde estava hospedado.

Foto: Acervo Pessoal

Dia seguinte, enfim o Brazilian Day. Como eu falei, Lázaro Araújo e Flávia Alessandra subiram ao palco, interagiram com a multidão (cerca de 1,5 milhão de pessoas segundo a produção) e os artistas fizeram sua parte. Foi uma tarde bem alegre e suíngada com o axé da Banda Eva, o pop de Lulu Santos e o suingue inconfundível de Jorge Benjor. Antes da festa começar as cantoras Elza Soares e Thelma Houston cantaram os Hinos do Brasil e dos Estados Unidos. A festa teve até flash no Domingão do Fustão.

Promovida pelo empresário João de Matos em parceria com a Rede Globo, o maior evento brasileiro nos EUA mais uma vez bombou. Tanto assim que João de Mattos, na época em entrevista à Revista Caras comentou:  “Nos últimos anos, em especial, sinto que os americanos começaram a prestar atenção e participar do evento. Nova York é uma cidade com um milhão de coisas diferentes, mas o Brazilian Day conquistou um lugar definitivo ao sol – sol brasileiro porque esse calor é todo nosso!  Ainda me assusto com a proporção que a festa ganha a cada ano. A 6ª Avenida está ficando pequena para nós”, emendou ele, dono dos restaurantes Plataforma Churrascaria, da agência de viagens BACC e do jornal The Brasilians.

No dia anterior, pela primeira vez baianas, capoeiristas e o grupo Manhattan Samba, formado por músicos brasileiros, fizeram a Lavagem da 46th Street, a Little Brazil sob o comando da baiana Silvana Magda. De lá, seguiram em procissão por dois quarteirões, atraindo turistas e moradores da região com muita dança. Coube a João romper a fita inaugural do evento. De lá, a trupe seguiu para feijoada no Plataforma do bairro de Tribeca, e a celebração invadiu a tarde.

Também foram prestigiar o evento a atriz Alinne Moraes o ator e apresentador Otaviano Costa, Nívea Stelmann e os jornalistas Serginho Groisman (58) e Sarah Oliveira (29), que gravaram matérias nos bastidores.  No espaço vip o promoter cearense Lázaro Medeiros e Alicinha Cavalcanti.

Fonte: Correio