Com edição online, Scream Festival encerra com recorde de inscritos e palestrantes

Realizado pela primeira vez em modo completamente online, o Scream Festival — maior evento de criatividade e mídia do Norte e Nordeste — encerrou sua terceira edição neste sábado (5), após dois dias inteiros de painéis que marcaram recordes: 137 palestrantes e mais de 3 mil inscritos. Com o tema “Chega de normal”, o festival teve 55 palestras que discutiram o mercado criativo voltado para o desenvolvimento das cidades, do empreendedorismo, da cultura e da inovação. Para quem perdeu estes dias de conhecimento, em breve todos os conteúdos estarão no site da ABMP.

Em sua abertura, o festival contou com a participação do prefeito ACM Neto, da presidente da Associação Baiana do Mercado Publicitário e fundadora do festival, Ana Coelho, e ainda Isaac Edington, presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur). Neste primeiro dia, os painelistas trataram da conservação e impactos sociais na Baía de Todos os Santos, bem como da produção de conteúdo mesmo em casa e até esclarecimentos sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e publicidade digital.

Foram debatidas também questões como as novas exigências da educação, lideranças femininas contra a pandemia, autoconhecimento, ressignificação de fracassos e negócios agrotech. Palestrantes falaram ainda sobre comunicação afroempreendedora, um tema que revelou a potência da união de pessoas pretas na luta por mais diversidade em agências de publicidade. Os painéis não esqueceram de mencionar o papel das marcas nestes tempos de discursos de ódio e grande volume de informações verdadeiras e falsas. 

A fundadora do Scream disse que o evento este ano foi desafiador. A organização estava desde março analisando as possibilidades de formato, imaginando os cenários até, por fim, decidir pela versão 100% virtual, que ela considerou um sucesso. Embora esta edição tenha perdido aquela movimentação de gente pelo Centro Histórico, Ana Coelho vê ganhos bons com a virtualização, que garantiu palestrantes de diversos países e estados. A logística de interação dos participantes com perguntas e comentários foi também mais fácil de gerir pela internet.

“Fiquei muito satisfeita com o conteúdo. O feedback do público foi ótimo, a maioria aprovou o resultado final do nosso projeto. E, de fato, há muito o que comemorar porque batemos recorde de inscrições, recorde de palestrantes. O evento foi gratuito e abrimos as salas até para não inscritos no YouTube. Mesmo com a saudade das pessoas e daquela movimentação no Centro Histórico, é possível afirmar que o evento foi um verdadeiro sucesso”, afirmou ela.

O Scream é uma realização da Associação Baiana do Mercado Publicitário e da Prefeitura Municipal de Salvador, através da Saltur, em parceria com o Sebrae. O evento tem o apoio da Rede Bahia.

Fonte: Correio