R$ 400 mil, esse é o preço da Ram 1500 Rebel

As picapes estão em evidência, e a FCA, que é proprietária de marcas como Fiat, Jeep e Ram está comemorando bons resultados. A Fiat conseguiu um ótimo desempenho de vendas com a nova geração da Strada e a Ram contabiliza seu melhor ano no país. Até então, a marca focada em utilitários, só comercializava no mercado brasileiro a 2500. Mas essa picape tem dimensões que a elevam a status de caminhão, tanto que é preciso CNH tipo C para guiá-la.

Repórter do CORREIO acelerou a picape na pista

Para focar no consumidor que quer adotar uma picape para transportar equipamentos esportivos e viajar, a empresa vai comercializar no Brasil a 1500 na configuração esportiva Rebel. Com visual imponente, o modelo será uma opção a SUVs e até mesmo a carros esporte como Chevrolet Camaro e Ford Mustang. Por isso, a marca resolveu chamá-la de premium muscle truck. 

A Rebel tem toda preparação para encarar trechos off-road e levar com conforto seus passageiros pela trilha – só de vão livre do solo são 24,9 centímetros. Mas também acelera forte. A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em apenas 6,4 segundos, ótimo resultado para um veículo com 5,93 metros de comprimento e 2.610 kg.

Para chegar a esse desempenho, os técnicos trabalharam muito bem a aerodinâmica, suspensão (que é multibraços na traseira) e instalaram sob o capô um motor que tem grife própria, o Hemi. É um propulsor V8, de 5.7 litros a gasolina, que entrega 400 cv de potência aos 5.600 rpm e 56,7 kgfm de torque aos 3.950 giros. Outras marcas de prestígio completam o trem de força: transmissão ZF de oito velocidades e caixa de transferência BorgWarner. Os amortecedores são da Bilstein.

Experiência
A experiência de direção aconteceu nos últimos dias. Tomando todos os cuidados, estive em um autódromo particular no interior de São Paulo. A proposta da FCA era para conduzir a 1500 Rebel em duas situações extremas: pista e off-road. Foi divertido, não posso negar. Serão essas as impressões que quem desembolsar pelo menos R$ 399.990 terá. 

O primeiro teste foi no circuito de asfalto. A picape encanta pelo bom acabamamento e ajustes diveros, desde comandos para aproximar os pedais até os ajustes dos bancos dianteiros – todos elétricos. O teto solar é panorâmico e a tela central se destaca, é como um grande tablet por onde é possível comandar diversos recursos. O seletor de câmbio é rotativo, mas, pela proposta esportiva poderia haver borboletas no volante para trocas manuais.

No asfato a picape acelera muito bem, e para quem curte, o som do V8 Hemi é música. Para quem prefere outros sons, a Ram oferece um ótimo sistema da Harman/Kardon, que tem 19 alto-falantes e rende 900 watts. E, além de acelerar, a 1500 para rapidamente, graças ao sistema de freios a disco nas quatro rodas. 

Apesar das dimensões e da potência, a picape é “na mão”, fácil de pilotar. E para que o motorista fique mais à vontade, tem recursos como frenagem autonoma de emergência, alerta de ponto cego e head-up display. Itens que facilitam no trânsito. O ponto fraco é o consumo. A expectativa para o ciclo urbano é 5,3 km/l e para a estrada 6,6 km/l. Pelo menos o tanque de combustível é grande: 98 litros – nos EUA ainda há, como opcional, um reservatório de 125 litros.

No off-road, a 1500 repete o bom desempenho, dessa vez se valendo do ótimo vão livre e de bons ângulos de ataque e saída. Para prevenir problemas, tanque, transmissão e motor contam com proteções inferiores. 

Enquanto a 2500 é importada do México, que tem um tratado que isenta impostos, a 1500 Rebel vem dos Estados Unidos. Ela chegará às concessionárias em abril, já como ano 2021. Mas os pedidos já podem ser feitos. Na Bahia são duas lojas, uma em Salvador e outra em Barreiras. Para levar a picape mais completa, com o sistema de som especial, head-up display, retrovisor interno digital e tampa traseira multifuncional é preciso desembolsar mais R$ 20 mil, o que eleva o preço final para R$ 419.990.
O JORNALISTA VIAJOU A CONVITE DA FCA

Fonte: Correio