Faro de gol: veja os artilheiros do Vitória em cada Brasileirão

Há quatro anos, o Vitória não via alguém balançar tanto as redes no Brasileirão como Léo Ceará anda fazendo. Em 25 jogos – sendo 23 como titular -, o centroavante já marcou 12 vezes, o que dá uma média aproximada de um gol a cada dois jogos. O momento é tão bom que o atacante já assumiu a vice-artilharia da Série B, atrás apenas de Caio Dantas, do Sampaio Corrêa, que tem 17 gols.

A última vez que o Vitória tinha tido um jogador com tantos gols em uma só edição de Campeonato Brasileiro foi na Série A de 2016, com Marinho. O ponta, hoje no Santos, fechou o torneio com os mesmos 12 gols de Léo Ceará, mas assinalados em 27 jogos. Assim, o atual camisa 9 rubro-negro tem uma boa sobra para poder superar. 

Léo, aliás, tem a chance de se tornar o maior artilheiro do Leão em um Brasileirão na era de pontos corridos. O recorde é de 18 gols e pertence a três jogadores: Joãozinho, que conseguiu o feito na Série B de 2007, Obina e Edílson, empatados na Série A de 2004. Para superar o trio, o centroavante precisaria marcar mais sete gols nos 10 jogos da segunda divisão que tem pela frente.

O CORREIO fez um levantamento dos artilheiros do Vitória em cada edição do Brasileirão desde 2003, quando foi adotado o modelo dos pontos corridos. Confira:

2020: Léo Ceará (Série B)
12 gols em 25 jogos. Está na vice-artilharia da Série B, atrás de Caio Dantas, do Sampaio Corrêa, que marcou 17 vezes.

2019: Anselmo Ramon (Série B)
7 gols em 32 jogos. O artilheiro foi Guilherme, do Sport, que anotou 17.

2018: Neilton (Série A)
7 gols em 32 jogos. O artilheiro foi Gabriel Barbosa, do Santos, que fez 18.

2017: Santiago Tréllez (Série A)
10 gols em 23 jogos. Os artilheiros foram Jô, do Corinthians, e Henrique Dourado, do Fluminense, com 18 gols cada.

2016: Marinho (Série A)
12 gols em 27 jogos. Ficou em terceiro na artilharia, empatado com Sassá (Botafogo), Gabriel Jesus (Palmeiras) e Robinho (Santos). Os maiores goleadores foram Fred (Atlético-MG), William Pottker (Ponte Preta) e Diego Souza (Sport), com 14 gols cada. Na vice-artilharia, Grafite, do Santa Cruz, com 13.

2015: Escudero (Série B)
11 gols em 27 jogos. O artilheiro foi Zé Carlos, do CRB, que marcou 19 vezes.

2014: Dinei (Série A)
9 gols em 31 jogos. O artilheiro foi Fred, do Fluminense, que fez 18.

2013: Dinei (Série A)
16 gols em 35 jogos. Ficou na vice-artilharia, empatado com Hernane, do Flamengo. Apenas Ederson, do Athletico-PR, fez mais gols naquela edição da Série A: 21.

Dinei foi o artilheiro do Vitória em três edições do Brasileirão
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

2012: Elton (Série B)
10 gols em 20 jogos. O artilheiro foi Zé Carlos, do Criciúma, que marcou 27 vezes.

2011: Neto Baiano (Série B)
15 gols em 33 jogos. Ficou em quarto na artilharia, atrás de Kieza (Náutico), com 21 gols; Lincom, do Bragantino, com 20; e Ricardo Jesus, da Ponte Preta, com 19.

2010: Júnior ‘Diabo Loiro’ (Série A)
8 gols em 31 jogos. O artilheiro foi Jonas, do Grêmio, que balançou a rede 23 vezes.

2009: Roger (Série A)
15 gols em 31 jogos. Ficou em quarto na artilharia. Os maiores goleadores foram Adriano Imperador (Flamengo) e Diego Tardelli (Atlético-MG), com 19 gols cada. Em seguida, aparece no ranking Val Baiano, do Grêmio Barueri, com 18 gols, e, empatados em terceiro, Alecsandro, do Internacional, e Washington, do São Paulo, com 16 gols cada.

2008: Dinei (Série A)
8 gols em 14 jogos. O artilheiro foi Kléber Pereira, do Santos, com 22.

2007: Joãozinho (Série B)
18 gols. O artilheiro foi Alessandro, do Ipatinga, que marcou 25 vezes.

2006: Leandro Domingues (Série C)
15 gols. Foi o vice-artilheiro da competição, atrás apenas de Sorato, do Bahia, com 16 gols.

2005: Alecsandro (Série B)
13 gols. O artilheiro foi Reinaldo, do Santa Cruz, que marcou 16 vezes.

2004: Obina e Edílson (Série A)
18 gols, cada. O artilheiro foi Washington, do Athletico-PR, com 34.

2003: Nádson (Série A)
10 gols. O artilheiro foi Dimba, do Goiás, com 31.

Fonte: Correio