Guerra das Malvinas inspirou ocupação no Bairro da Paz, em Salvador

Ocupação nas margens da Avenida Paralela fotografada em 1983 se chamava Invasão das Malvinas; Bairro da Paz foi nome escolhido em plesbiscito
(Foto: Fernando Amorim/Arquivo CORREIO)

Em 1982, a Ilha das Malvinas, no Atlântico Sul, era palco de uma guerra entre  Reino Unido e Argentina pela posse do território. A disputa, chamada Guerra das Malvinas, inspirou pessoas aqui em Salvador. Foi mais ou menos na mesma época que a área onde hoje fica o Bairro da Paz começou a ser ocupada e ficou conhecida como Invasão das Malvinas – esta foto que mostra as condições do lugar foi feita em 1983.

Quem contou essa história foi Edna Santos, auxiliar de enfermagem, para o livro ‘O Caminho das Águas em Salvador’, organizado pelos pesquisadores Elisabete Santos, José Antonio Gomes de Pinho, Luiz Roberto Santos Moraes e Tânia Fischer: “[A ocupação] começou na mesma época da Guerra das Malvinas. Nós ocupamos a área e declaramos guerra ao poder público que não aceitava nossa ocupação”, contou Edna. Anos mais tarde, o nome Bairro da Paz foi escolhido num plebiscito.

Na época da ocupação, as casas era barracos de madeirite cobertos por lona e muitos eram derrubados durante a madrugada pela polícia. Por muito tempo, os moradores daquela comunidade fizeram protestos e interditaram a Avenida Paralela contra as derrubadas. A ocupação resistiu.

Ainda de acordo com o livro O Caminho das Águas em Salvador, o Bairro da Paz é, atualmente, dividido em sete localidades, cada uma com um padroeiro diferente, o que indica que, volta e meia, os moradores do local estão entre festejos de santos católicos. No total, o bairro é protegido por Nossa Senhora da Paz, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Santo Antônio, Nossa Senhora Aparecida, São José e Cristo Redentor.

Antes da construção do prédio do Conselho de Moradores, era na Praça das Decisões que as reuniões para demandas do bairro eram tomadas. De acordo com dados do IBGE, a população do Bairro da Paz no último censo, de 2010, era de 19.407 moradores – era o 49º bairro mais populoso da capital. Já sua área, de 1,36 km², ocupada o 58º lugar no ranking dos bairros de Salvador, por tamanho. Os bairros vizinhos são Piatã, Trobogy, Mussurunga, Alto do Coqueirinho e Itapuã.

Fonte: Correio