Acabou o amor? Psicóloga explica porque tantos relacionamentos estão acabando

A pandemia ainda não acabou, mas os meses de isolamento colocou fim em muitos relacionamentos. Você reparou que nos últimos meses houve um aumento significativo do número de artistas que anunciaram o divórcio? Whindersson Nunes e Luísa Sonza, Luan Santana e Jade Magalhães, Gusttavo Lima e Andressa Suíta foram alguns dos casais que tiveram o fim de seus relacionamentos amplamente divulgados pela imprensa. Mas, o problema não atinge somente quem está diante dos holofotes. O público anônimo também está incluso.

A psicóloga, especializada em relacionamentos, Niliane Brito (@nilianebrito), é a convidada desta terça-feira (16) do programa Saúde & Bem-Estar, que é apresentado a partir das 18h no Instagram do @correio24horas pelo jornalista Jorge Gauthier (@jorgegauthier).

Ela falará que o tempo juntos e a rotina são alguns dos elementos que fazem com que as divergências se aflorem e, nem sempre, os casais estão preparados para lidar com essas situações adversas e atípicas, como este período extenso de convívio em casa, provocado pela pandemia do novo coronavírus.

Segundo ela, as discussões podem ser uma constante, quando as pessoas ficam muito tempo juntas, sem opções para diversificar as atividades do dia a dia e, consequentemente, um começa a observar as manias e os defeitos do outro. “O ócio e o desgaste da relação podem ficar notórios durante este momento de mais estresse que todos estamos passando. Mas, vale lembrar que isso não ocorre só entre casais. Os problemas de relacionamento podem surgir também entre pais e filhos, irmãos, dentre outros entes”, explica a especialista, destacando que às vezes a consequência pode ser a separação física como também a emocional.

Diálogo frequente, resolução de desavenças logo quando surgem e, na medida do possível, tentar incluir hábitos novos na relação são algumas dicas que podem ajudar a manter os casais mais afinados – ainda de acordo com Niliane Brito.

“A grande questão é que nem sempre as pessoas conseguem resolver, por si só, os problemas cotidianos. Isso pode fazer com que haja um acúmulo de assuntos não resolvidos, gerando a ruptura da relação”, afirma a psicóloga que desenvolvieu em 2019, o projeto intitulado Amour. O objetivo é, através de mentorias, palestras e rodas de conversa, proporcionar ao indivíduo o autoconhecimento, o amor próprio, desvendar como sua relação com o amor e com a pessoa amada.

Fonte: Correio