Leitores do CORREIO têm mais uma chance para garantir o copo de fim de ano

Quem não conseguiu garantir o seu copo de fim de ano do CORREIO com uma mensagem do poeta Marcelo Caettano, no último dia 11, tem mais uma chance. Nesta sexta-feira (18), o jornal vende a versão branca do copo junto com a edição do dia por R$ 2. A ação, que abrange todos os pontos de vendas credenciados no estado, é uma homenagem cheia de positividade para as leitoras e leitores do jornal com o objetivo de encerrar 2020, um ano tão difícil, de uma maneira mais leve. 

Mas, não dá pra esperar muito tempo para ir às bancas de jornais. Na sexta-feira passada, as edições do CORREIO com o copo vermelho se esgotaram em poucas horas. Para esta sexta, serão 17 mil exemplares disponíveis. Vale até combinar antes com o dono da banca para não ficar de mãos abanando. 

Ao fazer um balanço de 2020, Mara Salmeron, gerente de Mercado Leitor do CORREIO, comemora a relevância do jornal e das ações com os leitores. “Vivenciamos um ano tão difícil com medos e incertezas. Mas, conseguimos propiciar ao leitor, além de informações de credibilidade e relevância, as ações com as máscaras distribuídas com o exemplar e as promoções dos copos com temas relevantes e de otimismo”, disse. 
Para Marcelo Caettano, o poeta que assina a autoria das frases impressas nos copos, a ação destaca a arte como uma ferramenta importante em tempos árduos. “A gente teve um ano muito pesado. Imagine se em meio a isso tudo não tivéssemos música, livros, filme, por exemplo. Seria muito pior”, avaliou.

As frases que estão no copo e muitas outras podem ser conferidas no perfil do poeta no Instagram (@marcelocaettano).
A analista de vendas da área de Marketing do CORREIO, Carol Coutinho, acrescenta que a intenção do jornal foi levar esperança aos leitores neste final de ano. “Nossa intenção foi encerrar o ano com uma mensagem positiva”, completou

O jornal sem o copo também vai estar disponível no valor de R$ 1,50.

Confira a frase do copo branco:
“Desejo 
que pulse forte
que traga amor
que faça bem
que viva livre
que seja astral
que junte tudo
que seja essencial”
 

Fonte: Correio