‘Só sobraram algumas roupas’, diz moradora de casa destruída por incêndio em Salvador

Moradora da casa que foi destruída por um incêndio na manhã desta quinta-feira (17), no bairro da Federação, em Salvador (BA), a técnica de enfermagem Rosiane Villarino relatou que ainda não sabe quais foram os motivos do incidente e que apenas algumas roupas não foram destruídas.

“Se eu lhe disser que eu sei o que aconteceu, eu vou estar mentindo. Eu não sei o que foi que aconteceu. Eu estava no trabalho, quando cheguei, encontrei a situação. Fui lá ver o que me restou, só sobraram algumas poucas roupas… Uma parte delas até tá queimada, mas acho que dá para salvar. Eu sou autônoma, não tenho carteira assinada, então como a casa é de aluguel, é complicado”, contou Rosiane ao CORREIO. 

A técnica de enfermagem ainda não conseguiu estimar qual o valor do prejuízo que o incêndio pagou, mas arrisca dizer que se tratou de perda total. Por conta disso, vizinhos e amigos se dispuseram a montar uma vaquinha virtual para ajudar Rosiane.

“Ainda não sei quais foram os prejuízos. Estou sem cabeça para nada. Mas provavelmente foi perda total. Tá tudo preto, não tem como recuperar mesmo. Graças a Deus estou bem, e o pessoal ao redor aqui também tá bem. Eu vou ter que reformar a casa, então o pessoal tá vendo de fazer uma vaquinha, então tomara que dê certo, mas ainda não sei como será isso”, disse. 

Entenda o ocorrido
Um incêndio destruiu uma casa no bairro da Federação na manhã desta quinta-feira (17). A casa, onde mora uma técnica de enfermagem, estava vazia no momento que as chamas tomaram conta do espaço. A casa fica na rua Ferreira Santos. 

Segundo o Corpo de Bombeiros, duas equipes foram enviadas para trabalhar no controle do fogo. Ainda não se sabe o que causou o incêndio. Uma vizinha que inalou fumaça foi atendida no local pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A maior parte dos móveis, eletrodomésticos e objetos pessoais foram consumidos pelas chamas. Vizinhos ajudaram a retirar as poucas coisas que conseguiram resistir à destruição. No local, eles falavam da intenção de fazer uma “vaquinha” para ajudar a dona da casa a se reerguer.

*Estagiário sob supervisão de Carol Neves. Com informações do repórter fotográfico Arisson Marinho

Fonte: Correio