Audi confirma esportivo elétrico para o Brasil

Confirmado para o mercado brasileiro no ano que vem, Audi e-tron GT começou a ser produzido essa semana em Neckarsulm, na Alemanha. No último evento para a imprensa do ano, Johannes Roscheck, presidente da filial do Brasil, revelou que as concessionárias brasileiras vão receber a configuração RS do esportivo, que é o modelo elétrico mais potente da Audi. Os dois motores, um no eixo dianteiro e um no traseiro, rendem 700 cv de potência. A expectativa é que ele acelere de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos.

O carro elétrico irá compartilhar a fábrica com o superesportivo R8, e a unidade de produção foi ajustada para ser mais sustentável. Uma combinação de calor e eletricidade alimentada com biogás fornece o calor necessário para a produção. Para as emissões que atualmente não podem ser evitadas por meio de fontes renováveis, a Audi usa créditos de carbono de projetos certificados. Entre os concorrentes do RS e-tron GT está o Taycan, da Porsche.

CARRO CONECTADO
A internet a bordo aumenta as possibilidades. Na linha Ford, o primeiro com esse recurso é o Territory. Por meio de um aplicativo, o FordPass, é possível comandar remotamente diversas funções do veículo, como ligar o ar-condicionado e abrir ou fechar as portas. Para programar o dia a dia, há a facilidade de checar a autonomia do combustível e verificar a pressão dos pneus. Testei recentemente e é bem intuitivo.

Por meio de um aplicativo, é possível comandar várias funções do Territory (Foto: Reprodução)

NOVAS AMBIÇÕES 
Roberto Cortes, presidente da Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO), anunciou o maior programa de investimentos da história de 40 anos da empresa. De acordo com o executivo, entre 2021 e 2025 a VWCO irá aplicar R$ 2 bilhões para ampliar tecnologias de propulsão sustentáveis (incluindo eletrificação), digitalização e conectividade, além de melhorias de produtividade na fábrica de Resende, no interior do Rio de Janeiro.

Outro objetivo é a maior internacionalização da marca integrante do Grupo Traton, divisão do Grupo VW também formada por MAN, Scania e Navistar, que foi adquirida em novembro.

A VWCO irá investir na eletrificação de caminhões nos próximos anos (Foto: VWCO)

RADIOGRAFIA DAS VENDAS
De janeiro até novembro, foram emplacados 214.265 automóveis e comerciais leves no mercado brasileiro, conforme reportamos na edição do dia 5 de dezembro. Dessas vendas, 54,60% foram realizadas no varejo e 45,40% na modalidade de venda direta.

Nesse contexto, a ordem do ranking muda e as três primeiras marcas no varejo são Chevrolet (20,12%), Volkswagen (13,92%) e Hyundai (11,39%). Na venda direta, as mais bem colocadas são: Fiat (22,88%), VW (20,65%) e Chevrolet (13,60%).

CAMPEÕES NO VAREJO
O Chevrolet Onix ficou com a primeira posição no varejo no acumulado do ano, com 88.613 exemplares emplacados. O Hyundai HB20 ficou na segunda colocação (60.448) e o Chevrolet Onix Plus (45.517) em terceiro. Ford Ka (38.484) e Fiat Argo (37.710) fecham os cinco primeiros.

O Chevrolet Onix foi o modelo mais vendido no varejo neste ano (Foto: GM)

PREFERIDOS NA VENDA DIRETA
A picape Strada teve 58.547 unidades emplacadas via venda direta em 11 meses, deixando o VW Gol (44.856) em segundo e o Jeep Compass (37.289) em terceiro. O Jeep Renegade (35.788) ficou em quarto e o VW T-Cross (33.639) ocupa o quinto lugar.

A liderança na venda direta é da picape Strada, da Fiat (Foto: Antônio Meira Jr./CORREIO)

O QUE É VENDA DIRETA
O que diferencia uma venda direta de uma venda a varejo é a identificação do emissor na nota fiscal. Se o CNPJ do emissor for de um fabricante de veículos, será uma venda direta. As demais serão consideradas vendas varejo.

As vendas diretas podem ser originadas a partir de vendas corporativas, nas quais o fabricante negocia, diretamente, com grandes clientes, como frotistas e/ou locadoras, assim como em operações realizadas nas concessionárias, como vendas feitas para taxistas, produtores rurais, PCD (Pessoas com Deficiência), entre outros.

25 ANOS
Primeiro da BMW produzido fora da Alemanha, o Z3 está completando 25 anos. O roadster, que estreou no filme 007: GoldenEye, ficou em linha até 2002. Entre 1995 e 2002 foram fabricadas 297.087 unidades na unidade de Spartanburg, na Carolina do Sul, Estados Unidos.

O BMW Z3 foi produzido entre 1995 e 2002 (Foto: BMW)

Fonte: Correio