Doca Street, assassino da mineira Ângela Diniz, morre aos 86 anos

Raul ‘Doca’ Street, assassino confesso da socialite mineira Ângela Diniz, morreu nesta sexta-feira, 18, aos 86 anos. A informação foi repassada por familiares ao jornal O Globo. Ele sofreu uma parada cardíaca e deixa três filhos, dez netos e uma bisneta. 

Doca ficou conhecido na década de 70, ao matar com quatro tiros no rosto a então companheira Ângela Diniz. O crime aconteceu em 30 de dezembro de 1976 na Praia dos Ossos em Búzios, na Região dos Lagos (RJ). Após uma discussão, Ângela terminou o relacionamento com Doca, que não aceitou o fim e a matou.

O primeiro julgamento de Doca, em 1979, foi acompanhado por todo o Brasil. Seu advogado usou a premissa de ‘legítima defesa da honra’ para sustentar a defesa. Uma sentença branda foi dada como punição ao assassino, levando à indignação de centenas de mulheres, que se organizaram e cobraram um novo julgamento.  Em 1981, em novo julgamento, ele foi condenado a 15 anos de prisão, mas acabou solto em 1987. 

Podcast

Recentemente, seu nome veio à tona, diante da popularidade do podcast ‘A praia dos Ossos’, da Rádio Novello e apresentado por Branca Vianna. O podcast refez a trajetória dos personagens do crime, mostrando como Ângela – a vítima – acabou sendo julgada diante de uma sociedade machista. A produção também mostrou como o crime foi importante para a organização do movimento feminista no Brasil. Doca foi o entrevistado do sexto episódio. 

Fonte: Agencia Brasil