Saiba preços, onde fazer e qual teste de covid-19 é indicado para antes do Natal

As festas de final de ano se aproximam e muita gente não vai abrir mão de ver a família. Mas, para curtirem as comemorações despreocupadas e sem risco de estarem infectadas, muitas pessoas vão fazer o teste de covid-19 antes de encontrar com os entes queridos. 

Para saber quando e qual o teste mais indicado para fazer, o CORREIO conversou com especialistas sobre o tema e preparou uma lista com os tipos, preços, horários de funcionamento e onde esses testes podem ser feitos em Salvador e Região Metropolitana. Os valores variam de R$ 125, no caso do teste rápido, a R$ 350, no caso do PCR. Algumas empresas oferecem descontos para profissionais de saúde, como na Diagnoson. 

A estudante de arquitetura e urbanismo Carol Rosa, 20 anos, está há quase três meses sem ver a irmã, o sobrinho e grande parte de sua família. Com o Natal chegando, mesmo com os planos ainda incertos, todos planejam fazer o teste de covid-19 para poderem se encontrar. “Vou fazer porque quero visitar minha família, meu afilhado, tem muito tempo que não vejo eles. A gente ainda não sabe o que vai fazer, mas a ideia é que todo mundo faça para se reunir”, contou Carol.  

Desde março, quando começou a pandemia do novo coronavírus na Bahia, Carol só os encontrou uma única vez, quando ficou mais de um mês morando na casa da irmã. Ela ainda não teve sintomas, exceto no início da pandemia, quando ficou doente. Os motivos de a estudante fazer o teste são muitos: por precaução, por estar trabalhando, e pela irmã mais velha e os avós do afilhado serem do grupo de risco. Mesmo se der negativo para o vírus, ela não pretende se descuidar. “A partir do momento que eu entrar em recesso do trabalho, voi ficar uns cinco dias em isolamento”, disse a jovem. 

Esse também é o caso da estudante Brenda Borges, 19, que virá de Portugal visitar a família, em Feira de Santana, no dia 22 de dezembro. Antes da reunião, ela e a irmã vão fazer o teste do tipo RT-PCR para saber se estão ou não infectadas.  “Vou fazer o teste antes e vou fazer o máximo para me proteger até chegar o período de estar em casa, já que quero aproveitar o tempo que vou para o Brasil para estar com minha família”, esclareceu Brenda. É a terceira vez que ela fará o PCR – a primeira foi quando ela perdeu um familiar para o coronavírus e a segunda foi para retornar a Portugal, pois é exigido pela companhia aérea para o embarque. A estudante também já fez o sorológico, e todos deram negativo. 

A estudante Brenda Borges fará o teste de covid-19 tipo RT-PCR para passar o Natal em família. Crédito: Acervo pessoal.

Existem dois tipos de testes de covid-19. Segundo a bioquímica Agnaluce Silva, gestora regional do Grupo Sabin do Nordeste, o mais recomendado para saber se você está com a doença é o RT-PCR, porque detecta se existem partículas virais no seu sistema. É aquele teste nasal, em que se coloca o cotonete nas duas narinas e garganta. Existe uma segunda modalidade, que é o teste de antígeno, 80% similar ao PCR e um pouco mais barato. A única diferença entre ambos é que, quando se está assintomático ou baixa carga viral, o teste de antígeno pode não detectar. 

“A pesquisa de antígeno é 80% correlacionado com o PCR. Pode ter pacientes que têm uma baixa carga viral e pega no PCR mas não no antígeno. Mas os dois são 100% específicos, ou seja, se der positivo, é 100% de certeza de estar contaminado, não tem chance de dar falso positivo, mas o PCR é o padrão-ouro”, esclareceu a bioquímica. Ela ainda diz que existe uma chance mínima de, se a pessoa fizer no dia errado, ou se o material não foi bem coletado, o resultado dar negativo. 

Por isso que o recomendado, no caso do exame nasal, é realizá-lo entre o primeiro e décimo dia de sintomas. A depender do laboratório em que se realize o exame, o resultado pode sair em um dia útil ou até cinco dias úteis. O grande detalhe sinalizado pela pesquisadora é que o teste só vai detectar se o vírus está ativo naquelo momento e pode não ser detectado nos primeiros três dias de infecção. 

“Normalmente, os sintomas só aparecem no terceiro dia em que ele foi infectado, às vezes até passa desse tempo. E quando você faz o teste, você tá fazendo um retrato daquele momento, então ele pode ser infectado depois disso. Por isso é muito importante que se tenha o cuidado do distanciamento social”, orienta Agnaluce. 

O outro tipo de exame é o sorológico, realizado a partir da coleta de sangue, o qual aponta se você já teve a doença. Enquanto que o nasal vê se o paciente está com o vírus naquele momento, o de sangue aponta se a pessoa desenvolveu anticorpos contra a covid-19. No caso dos testes do coronavírus, esses anticorpos são detectados por três tipos de imunoglobulinas – igG, igM e igA. O igA e o IgM apontam para uma exposição ao vírus mais recente, portanto, a pessoa ainda pode infectar outra. Já o igG indica uma exposição mais tardia. Porém, os anticorpos só começam a aparecer a partir do sétimo dia de sintomas. 

Os laboratórios permitem que seja realizado cada um separadamente, mas existe a sorologia total, em que o igM e o igG são detectados em conjunto. “Para saber se você já teve covid, existe o teste de anticorpo total, que tem excelente sensibilidade e já vem junto o igG e o igM. Mas o mais importante é o total, o igM está cada vez mais caindo em desuso, porque só aparece quando já está no final da doença”, pontua. Agnaluce também diz que o igA é semelhante ao igM, mas a Organização Mundial da Saúde (OMS) já não vê um bom desempenho. 

Teste tipo RT-PCR é o mais recomendado para quem deseja saber se tem o novo coronavírus. Crédito: Divulagação/Fiocruz

A polêmica dos testes de sangue são so falsos negativos e falso positivos. A explicação do falso negativo é que existem dois tipos de imunidade: a celular e a humoral. Quando se tem o contato com o novo coronavírus, a imunidade produzida é a humoral, ou seja, os anticorpos. No caso da imunidade celular, não há a produção de anticorpos, pois o organismo se defende com as chamadas células T.  

E, até então, não existem exames de covid-19 que detectem a imunidade celular. Por isso que, se o resultado sorológico der negativo, não quer dizer que você não esteja imunizado. Já no caso do falso positivo, a gestora do Sabin Nordeste diz que, no início da pandemia, muitos testes foram aprovados emergencialmente pela Anvisa, e podem cruzar com outros vírus. 

Moral da história: o melhor remédio é fazer o PCR e ficar isolado até o dia da festa, como orienta a infectologista Ceuci Nunes, diretora do Instituto Couto Maia, hospital especializado em doenças infecto-contagiosas. “O melhor para você detectar ativamente o vírus é o PCR. Agora você tem que fazer o teste e ficar em uma quarentena rigorosa, porque você pode fazer o PCR em um dia e se contaminar no outro”, aconselha a infectologista. A médica diz ainda que não há contra-indicações para fazer o exame, mas, se o PCR já deu positivo, não é necessário fazer novamente. 

A orientação do infectologista Claudilson Bastos é de fazer o exame se for fazer um Natal em família, principalmente se houver pessoas acima de 60 anos e do grupo de risco. “O contágio existe em qualquer lugar. Então é recomendável que as pessoas que não estejam em isolamento e que tenham saído para trabalho ou para outras situações necessárias, que, se possível, faça o teste antes, para saber se você está tendo ou já teve. Principalmente se você vai a um natal que vai ter pessoas idosas e problemas de saúde”, orienta. 

Bastos também relembra que existe chance de reinfecção da doença. “Após 90 dias, é possível que algumas pessoas caiam seus anticorpos e elas possam ter novamente covid”, alerta o infectologista. 

Tipos de exame de covid-19 

RT-PCR – é considerado o padrão-ouro no diagnóstico da COVID-19. A confirmação é obtida através da detecção do RNA do SARS-CoV-2 na amostra analisada, coletada de raspado de nasofaringe. Recomenda ser feito entre o 3º e 10º dia do início dos sintomas. 

Pesquisa de antígeno – 80% correlacionado com o PCR. É mais barato que o PCR, mas, se a pessoa tiver baixa carga viral, pode não ser detectado. 

Sorologia – verifica a resposta imunológica do corpo em relação ao vírus. Isso é feito a partir da detecção de anticorpos IgA, IgM e IgG em pessoas que foram expostas ao SARS-CoV-2, com a coleta de sangue do paciente. Recomenda ser feito 10 dias após o início dos sintomas.

Testes rápidos – funcionam como os testes sorológicos, avaliam a presença de anticorpos igG e igM. A vantagem é serem mais baratos e darem um resultado mais rápido. 

Veja onde fazer: 
– Hospital Cardio Pulmonar
PCR: R$ 320,00. Resultado em até 3 dias úteis.  
Sorologia: Anticorpos totais (igg e igm): R$ 110.
IgG: R$140,00. 
IgG e igM: R$ 200,00. Resultado em até 5 dias úteis. 
Teste rápido (igg/igm): R$150,00. Resultado sai em 24 horas. 
Atendimento por ordem de chegada, de segunda à sexta de 6h30 às 15h e sábado de 6h30 às 10h30. Para fazer o teste no formato drive-trhu, é necessário agendar na central de marcação: 4020-2322.

– Labchecap/ Hospital São Rafael
PCR: R$ 300,00. Resultado em 1 dia útil. 
Sorologia: Anticorpos totais: R$130,00. Resultado em 4 dias úteis. igG: R$ 125,00. Resultado em 1 dia útil. igM: R$ 125,00. Resultado em 1 dia útil. igA: R$125,00. Resultado em 4 dias úteis. 
É necessário agendamento pelo site https://labchecap.com.br ou telefone: (71) 3345-8200

– Sabin (Unidade Covid e Drive-Trhu)
RT PCR: R$ 355,00 (dentro da unidade); No Drive-thru, comprando pelo site R$ 295,00 / Prazo: 3 dias úteis
Sorologia Anticorpos Totais: R$ 140,00. Resultado: 3 dias úteis
Teste Sorológico IgM/IgG Quantitativo: R$ 300,00. Resultado: 3 dias úteis
Teste Rápido (Sorológico IgM/IgG Qualitativo): R$ 250,00. Resultado: 1 dia útil
Teste Sorológico IgM: R$ 160,00. Resultado: 3 dias úteis
Teste Sorológico IgG: R$ 140,00 / Resultado: 3 dias úteis
Teste de Antígenos Sars-CoV-2: R$ 200,00 / Resultado: 1 dia útil
Unidade de Covid 
Pituba: Av. Manoel Dias da Silva, nº 1733
Horário: Segunda a sexta: 6h30 às 17h
Sábado: 6h30 às 11h
Telefone: (71) 3261-1314
Drive-thru 
Pituba – Av. Manoel Dias da Silva, nº 1733 
Segunda a sexta: 7h às 17h
Sábados: 7h às 12h / Domingos: Fechado
Telefone: (71) 3261-1314

– Fleury e Diagnoson
coleta em drive trhu ou dentro da unidade. 
PCR – R$ 350,00. Para profissionais de saúde: R$ 280,00. Resultado em 3 dias uteis. (somente na unidade Pituba – Rua Pernambuco, 14)
Sorologia – Valor: R$ 260,00. Desconto para quem é profissinal de saúde R$ 208,00. Resultado em 10 dias corridos.  Unidades: Graça (rua barão de capanema, 16), Matatu (rua dos bandeirantes, 1001), Diagnoson a+ Pituba (rua pernambuco, 14), a+ paulo vi (avenida paulo vi 1155), Imbuí (rua das gaivotas, 355), Stella Maris (rua Capitão Melo, 510). 
Clientes que já realizaram exames de covid têm desconto de 20% no próximo exame sorológico. É necessário agendar na central de atendimento: (71) 2104-2000, disponível das 7h às 20h (segunda a sexta) e 7h às 18h (sábado) e 7h às 14h (feriados). 

– Laboratório Leme 
PCR: R$ 280,00. Resultado em 4 dias úteis. 
igM/IgG ou igA/igG – R$ 240,00 (cada). Resultado em 3 dias úteis. 
Unidades funcionam de segunda a sexta das 6h30 às 17h e aos sábados até às 11h: Campo Grande (Largo do Campo Grande, 654), Rio Vermelho (Avenida Oceânica, 3836) e Vilas do Atlantico (Avenida Praia de Itapoã, 570)
É preciso agendar e apresentar requisição médica. Central de atendimento: 3338-8555

– DNA Laboratório
PCR: R$ 300,00. Resultado: 2 dias uteis. 
PCR de urgência: R$ 350,00. Resultado em 1 dia útil. Pode ser feito nas unidades da Paulo VI, Pituba Parque Center, Itapuã, Brotas 2, Caminho de Areia, Resgate, Lauro de freitas e Camaçari
Sorológico: R$ 250,00. 2 dias uteis. Pode ser feito em todas as unidades

– Laboratório Jaime Cerqueira
PCR: R$ 250,00. Resultado em até 02 dias úteis
Sorologia ANTICORPOS TOTAIS: RS 160,00. Resultado em até 02 dias úteis.
Sorologia IgG e igM:  R$220. Resultado em até 05 dias úteis
Sorologia IgG ou igM: R$140,00 (cada). Resultado em até 05 dias úteis
Sorologia IgM:
 COLETA DOMICILIAR: Salvador (Consultar Taxa). Lauro (Taxa R$ 50,00). 
Agendamento através do Whatsapp: 3359-7575

– Laboratório LPC
PCR: R$ 300,00. Resultado: 2 dias úteis. Feito sob agendamento, exclusivamente em domicilio ou nas unidades Drive Trhu da Lucaia (R. do Jacarandá, 879 – Loja 01 – Horto Florestal) e em Vilas do Atlantico (Alameda Praia de Itapuã, quadra d15 l33). 
Sorologia IgG e IgM:R$ 240,00. Resultado: 4 dias úteis.
Sorologia IgG : R$ 120,00. Resultado: 4 dias úteis.
Sorologia IgA: R$ 120,00. Resultado: 4 dias úteis.
Sorologia IgM: R$ 120,00. Resultado: 4 dias úteis.
Teste rápido: R$ 150,00. Resultado: 1 dia útil.
Anticorpos Totais: R$ 120,00. Resultado: 3 dias úteis.

– Laboratório Linus Pauling
Pesquisa de antigeno: R$ 260,00. Resultado: até 24 horas.
PCR: R$ 300,00. Resultado: 2 dias uteis. 
Testes rápido: R$ 190,00. Resultado em até 24 horas.
Sorologia igG e igM: R$ 230,00. Resultado em até 6 dias úteis. 
Exames podem ser feito nas unidades de Brotas (6h30 às 12h), Pituba (6h30 às 15h), São Rafael (6h30 às 12h) e Graça (6h30 às 12h)

– Testes Moleculares
PCR: R$ 250,00. Resultado em até 24 horas. Pode ser feito presencialmente ou em domicílio. O Laboratório fica na Rua Itagi, 590, Pitangueiras, Lauro de Freitas=, ao lado do Banco do Brasil. Informações: @testesmoleculares

– Drogaria São Paulo
Teste rápido: R$ 79,90. Resultado em até 10 minutos. Em Salvador, podem ser realizados nas Drogarias do Candeal, Costa Azul, Canela e Chame-chame. No interior, nas unidades de Feira de Santana. O agendamento pode ser feito pelo site (https://www.drogariasaopaulo.com.br/) ou ligando na filial. Caso prefira ir presencialmente, o atendimento é feito de acordo com a disponibilidade da unidade.

– Apae 
Teste rápido – segunda a sexta-feira das 6h30 às 17h e aos sábados das 6h30 às 11h30. Caso o paciente prefira, pode optar pela coleta domiciliar em Salvador, com agendamento prévio de 24h e cobrança de taxa do deslocamento. Contato: 3270 8344 ou 3270 8334. 

O Laboratório do Centro de Diagnóstico do GACC e o Laboratório Studart&Studart estão autorizados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para realizar testes de covid-19, mas não informaram os valores e eles não foram encontrados no site das empresas. 

Confira o guia para uma reunião natalina segura:

Acima de tudo, é preciso ter bom senso. Especialistas reconhecem que é difícil dizer às pessoas para não se encontrarem e que, eventualmente, muitas reuniões familiares vão acontecer. Mas, se elas são indispensáveis, para alguns, o jeito é tentar se proteger – e proteger os outros – ao máximo. Por isso, a virologista Andréa Mendonça Gusmão, professora da Ufba e da UniFTC, deu algumas dicas de normas que podem ser seguidas para que a ceia natalina se torne mais segura. 

1) Dá para evitar o encontro? Usamos plataformas online o ano inteiro, então, uma boa pedida para fugir de aglomerações é sempre fazer a reunião de forma virtual. 

2) Na noite do Natal, se a família é muito grande, o jeito é dividir os núcleos. É difícil estimar o número máximo de pessoas, mas é preciso ter bom senso: dez pessoas pode ser um número pequeno para uma casa com um grande espaço ao ar livre, mas os níveis de perigo podem aumentar muito em um apartamento pequeno. “Mas aquela confraternizações grandes, de anos anteriores, chamando a empresa inteira, a família inteira, ou várias famílias e os amigos mais próximos… Isso tem que ser evitado. Tem que ter cuidado para programar esse encontro”, diz a virologista. 

3) Evitar abraços e contato: a melhor saída é sempre o distanciamento social, de preferência a dois metros da outra pessoa. Se a família está morando junto, convivendo junto, tudo bem. Mas se vem um integrante de fora, é melhor se cumprimentar com o toquinho de cotovelo. 

4) Um núcleo familiar que mora na mesma casa vai fazer a ceia junto, mas um filho ou uma filha que mora em outro lugar pretende vir também. Pode? Uma saída é fazer um teste para saber se está com covid-19 dois dias antes, como está sendo adotado em lugares como Fernando de Noronha ou países como Portugal, para cada pessoa que chega.  Esse teste deve ser, de preferência, o RT-PCR – o teste rápido, aquele encontrado em farmácia, normalmente só detecta o vírus no 7º ou 8º dia dos sintomas. Mesmo assim, nem o RT-PCR é 100% seguro, porque ele costuma dar positivo só a partir do 2º dia. Além disso, como pondera a professora, às vezes, quem está assintomático pode ter um resultado negativo nesse teste. “Isso não significa que a pessoa não está infectada. Pode ser simplesmente porque está na janela molecular, que é o período em que o indivíduo se infectou. É um critério, mas não dá 100% de segurança. Então, se você for estar com uma pessoa muito debilitada, é melhor manter o distanciamento social, mesmo com o teste negativo”. 

5) O álcool em gel 70 deve ser utilizado com frequência. Em toda a reunião, é preciso lembrar de higienizar as mãos com regularidade e evitar tocar o rosto. 

6) Cuidado com os copos! Às vezes, numa reunião, as pessoas se confundem e acabam pegando os copos de outra pessoa. Nesse contexto, isso pode ser muito perigoso. Então, uma sugestão é fazer marcações no copo de cada pessoa – utilizando adesivos, por exemplo. 

7) Bom senso no uso das máscaras: Assim como tem acontecido nos bares e restaurantes, é recomendável tirar a máscara apenas na hora da alimentação, que também é um dos momentos que requer maior cuidado.  “O ideal, o correto é usar a máscara. Mas como você vai comer, beber e sempre vai ter esse momento de alimentação, que é o de maior risco, é preciso manter a distância aí. Depois, põe a máscara de novo”, completa a professora Andréa. 

8) Sabe o que os restaurantes self service têm feito? Muitos disponibilizam luvas plásticas para que as pessoas se sirvam ou definem uma única pessoa para servir todo mundo. Essa pode ser uma alternativa em casa: definir alguém da família para servir todo mundo e evitar que muitas pessoas peguem nos utensílios como o gancho de uma colher, por exemplo.

*Com a orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

Fonte: Correio