Ricardo Mandarino é o novo secretário de Segurança Pública da Bahia

A Bahia tem um novo secretário de Segurança Pública. A troca de comando foi anunciada pelo governador Rui Costa, na tarde desta quarta-feira (23), nove dias após o atual gestor da pasta, Maurício Teles Barbosa, ser afastado do cargo. Ele está sendo investigado pela Operação Faroeste. O novo titular da Secretaria de Segurança Pública (SSP) será o juiz federal aposentado Ricardo César Mandarino. 

O anúncio foi feito através das redes sociais do governador. Rui Costa aporveitou para anunciar também o novo subsecretário da pasta, o delegado Hélio Jorge, e a nova diretora geral da Polícia Civil, Heloisa Brito. Essa será a primeira vez na história em que uma mulher assumirá esse cargo.

Hélio Jorge é o novo subsecretário da SSP (Foto: Elói Corrêa/GOVBA)

Bastou o governador divulgar nas redes sociais que faria esse anúncio no final do dia para os baianos se manifestarem. Alguns pediram que ele escolhesse alguém que já estivesse familiarizado com o assunto, estudando ou trabalhando na área da segurança pública. 

O juiz aposentado Ricardo César Mandarino atuou na área criminal, e tem passagem pelo ministério público. Já o novo subsecretário Hélio Jorge tem cerca de 30 anos no funcionalismo público e já foi diretor geral da Polícia Civil. Eloísa Brito era diretora da academia de polícia quando aceitou o cargo de Diretora Geral da PC. Ela tem cerca de 25 anos na instituição. 

Heloísa Brito é a nova delegada-geral da Polícia Civil (Foto: Elói Corrêa/GOVBA)

Secretário exonerado
Ricardo César vai ocupar o cargo de Maurício Teles Barbosa. A saída de Maurício foi motivo de especulação por diversas vezes na imprensa desde que ele assumiu, em 2011, mas a troca de comando aconteceu apenas agora, e de uma maneira negativa. Maurício e a chefe de gabinete dele, Gabriela Caldas Rosa de Macedo, estão sendo investigados em um esquema de venda de sentenças judiciais. 

A operação que apura essa denúncia foi iniciada em 2019, pelo Ministério Público Federal, e batizada de Faroeste. Duas desembargadoras do Tribunal de Justiça da Bahia, Lígia Maria Ramos Cunha Lima e Ilona Márcia Reis, foram presas na fase mais recente da investigação, deflagrada na semana passada. 

Maurício e Gabriela foram afastados no dia 14 de dezembro a mando do Superior Tribunal de Justiça, para garantir o não vazamento de informações e a preservação das provas. O secretário foi exonerado do cargo posteriormente. O gabinete deles na SSP foi alvo de buscas e apreensões, e o afastamento tinha o prazo inicial de um ano. Desde então, Maurício não foi visto mais em público.

Fonte: Correio