Ex-marido suspeito de matar juíza a facadas é preso em flagrante, mas se cala

Suspeito de matar a juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi a facadas na noite da última quinta-feira (24), Paulo José Arronenzi foi preso em flagrante por feminicídio nesta sexta-feira, mas optou por carlar-se na delegacia e disse que só vai se manifestar em juízo.

Segundo a polícia civil do Rio de Janeiro, ele não tentou fugir depois do crime e permaneceu próximo ao corpo da ex-mulher até a chegada dos oficias, quando recebeu voz de prisão e foi levado à Divisão de Homicídios.

Paulo teria matado Viviane na noite da última quinta, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A juíza do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) foi esfaqueada, na frente das três filhas do casal. Em uma das gravações que circulam nas redes, uma das crianças pede que ele parasse de golpear a mãe, mas em vão.

À Polícia, Paulo afirmou que somente iria se pronunciar nos tribunais. Os oficiais entendem que ele premeditou o crime, uma vez que foram encontradas três facas no carro dele, sendo que a  que foi usada para matar a juíza, não foi encontrada.

Em setembro, Viviane havia feito um registro de lesão corporal e ameaça contra o ex-marido, que foi enquadrado na Lei Maria da Penha. Ela chegou a ter escolta policial concedida pelo TJ-RJ, mas pediu para retirá-la posteriormente a pedido de sua filha. Eles foram casados entre 2008 e 2020.

Fonte: Agencia Brasil