CORREIO lança Prêmio Baianos do Ano para reconhecer destaques em diversas áreas

Se 2020 não deve deixar muita coisa além de um pote até aqui de mágoa para ser lembrada no futuro, o jeito é focar em gente que se dedicou a brilhar nesse ano embaçado e doido. E é justamente para afogar ressentimentos num poço de virtudes que a coluna lança o ‘Baianos do Ano’, referência e deferência simbólicas para reconhecer personalidades com importantes serviços prestados (de forma prática ou alegórica) à Bahia. 

A ideia do prêmio já vinho sendo germinada desde o primeiro texto da coluna, em fevereiro de 2019, que falava da ‘ideia adoidada de ser novidade e memória’. E a novi aqui é a parceria com especialistas e profissionais que são referências em seis áreas abordadas de forma recorrente em Baianidades. 

Após a curadoria, cada um(a) elegeu uma lista tríplice com personalidades (ou coletivos) que merecem menção por suas realizações ao longo do ano. 

Bom, mas isso é só a primeira parte da coisa, porque quem vai escolher o(a) ‘Baiano(a) do Ano’ em cada categoria são os leitores, em votação online que será aberta na próxima terça-feira (29). 

Por ora, a ideia é que os leitores conheçam os votos dos curadores Renato Cordeiro (Arte e Cultura), Luciano Matos (Música), Kátia Borges (Literatura), Jorge Gauthier (Ciência), Nereida Albernaz (Humor e Internet) e Herbem Gramacho (Esporte).

Eles foram desafiados a escolher os três destaques de 2020 em suas respectivas áreas e, claro, justificar, de forma breve (já que são tantos nomes – 18!), a presença dessas personalidades na lista. 

De cara, um dos curadores decidiu transgredir um pouco a regra sobre personalidades, elegendo coletivos, o que foi uma atitude bem recebida. 

Por fim, antes de liberar você para conhecer os escolhidos, fica o aviso de que, ao longo dessas segunda (28) e terça (29), antes da abertura da votação, teremos matérias separadas por categoria, nas quais os curadores e a própria coluna traçarão um panorama mais aprofundado sobre os destaques do ano – inclusive citando as devidas menções honrosas de quem não pintou entre os três dessa vez.

Abaixo, os indicados (em ordem alfabética), com votos justificados e uma mini bio dos curadores convidados.

***
ARTE E CULTURA

Curadoria: Renato Cordeiro, jornalista e apresentador do programa Multicultura da Educadora FM

Associação Grupo Estado Dramático – O Teatro Gamboa Nova, sediado em Salvador e gerido pela Associação Grupo Estado Dramático, saiu na frente entre as transmissões online de espetáculos cênicos, buscando se adaptar à experiência doméstica do público. Luz, som e edições de vídeo em tempo real evitaram cruzar uma linha entre teatro filmado e uma espécie de cinema ao vivo, abrindo uma janela de possibilidades e tendo até espectadores em outros países, como EUA, Inglaterra, Argentina e Japão.

Mostra Itinerante Mahomed Bamba – Em 2020, festivais de cinema migraram para TVs e notebooks em edições online. Um destaque é o MIMB, feito por um coletivo de mulheres pretas que visibiliza cineastas negros e negras no mundo. Há três edições, exibe longas e curtas de ficção, documentários e obras experimentais, dialogando com escolas públicas e centros comunitários de bairros populares e periféricos de Salvador. Tudo isso, sem financiamento – só agora ganharam um edital, para 2021.

Observatório da Economia Criativa da Bahia – O grupo liderado por integrantes da UFRB, UFBA e UNEB lançou em agosto a pesquisa “Impactos da Covid-19 na Economia Criativa”, coordenada por Daniele Canedo e Carlos Paiva. O dramático diagnóstico das urgências do setor teve apresentação do ex-ministro da Cultura Gilberto Gil e, além de esforços baianos, envolveu universidades e instituições culturais do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

***
MÚSICA

Curadoria: Luciano Matos, jornalista, editor do site el Cabong (@el.cabong), apresentador, curador e produtor do festival, programa de rádio e podcast Radioca

Barões da Pisadinha – Da pequena cidade de Heliópolis, no nordeste baiano, o duo Barões da Pisadinha se transformou em fenômeno nacional. Com seu forró simples, apenas com voz e teclado, Rodrigo Barão e Felipe Barão explodiram no Tik Tok e hoje qualquer vídeo deles tem milhões de visualizações no YouTube. São recordistas nas plataformas de streamings (sexto lugar entre os artistas mais ouvidos no Spotify esse ano), além de já aparecerem entre os mais tocados também nas rádios brasileiras.

Luedji Luna – Dois novos rebentos confirmaram a luminosidade da cantora e compositora: o primeiro filho, fruto de um parto humanizado, relatado por ela de forma emocionante, e o segundo disco, o precioso ‘Bom Mesmo É Estar Debaixo D’Água’. Gravado entre o Brasil e o Quênia, o álbum mescla MPB e jazz e confirmou Luedji como uma das grandes artistas da atualidade. O disco tem figurado em todas as listas de melhores do ano, em muitas delas no primeiro posto.

Mateus Aleluia – O veterano cantor e compositor alcançou uma dimensão internacional inédita com seu mais recente álbum. Muito bem recebido pela crítica nacional e figurando entre os melhores do ano em várias listas, ‘Olorum’ colocou seu Mateus no holofote ne Europa e Estados Unidos. O álbum esteve entre os mais tocados em rádios europeias de World Music, teve excelente receptividade da imprensa especializada pelo mundo afora e esteve presente em listas de melhores álbuns também no exterior. De quebra, o artista foi alvo também do documentário ‘Aleluia – O canto infinito do Tincoã’, da diretora Tenille Bezerra.

***
LITERATURA

Curadoria: Kátia Borges, jornalista, cronista do CORREIO, doutora em Literatura e Cultura e professora de Jornalismo da Unifacs

Evelina Hoisel – Doutora em Letras e professora titular da UFBA. Seu livro Teoria, Crítica e Criação Literária: o escritor e seus múltiplos, editado pela Civilização Brasileira, foi um dos vencedores do Prêmio Mario de Andrade da Biblioteca Nacional, na categoria Ensaio. Primeira mulher a assumir a presidência da Academia de Letras da Bahia, seu nome se consolidou este ano entre as principais pesquisadoras do campo literário no país.

Franklin Carvalho – Bacharel em Comunicação Social e pós-graduado em Direito do Trabalho, venceu este ano o Prêmio Nacional da Academia de Letras da Bahia, com o livro de contos A Ordem Interior do Mundo (7Letras). Entre as premiações já recebidas por este autor baiano, estão o Sesc 2016 e o Prêmio São Paulo de Literatura 2017, ambos concedidos pelo seu primeiro romance, Céus e Terra, editado pela Record.

Itamar Vieira Junior – Geógrafo e doutor em Estudos Étnicos e Africanos, o escritor conquistou este ano dois dos principais prêmios literários nacionais, o Jabuti e o Oceanos, com seu primeiro romance, Torto Arado (Todavia). A obra também foi vencedora de uma das maiores premiações literárias internacionais, o Leya. Editado em Portugal, no Brasil e na Itália, o livro entrou para a lista dos mais vendidos em nosso país em 2020.

***
CIÊNCIA

Curadoria: Jorge Gauthier, jornalista, especialista em Jornalismo Científico e Tecnológico pela UFBA, coordenador de ações digitais do CORREIO e apresentador do programa Saúde & Bem-Estar no @correio24horas

Gloria Teixeira – Professora de Epidemiologia do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA, ela é uma das integrantes da Rede Covida – Ciência, Informação e Solidariedade, um projeto de colaboração científica e multidisciplinar focado na pandemia de coronavírus. Ganhou visibilidade, dentre os pesquisadores da Rede, através de sua postura crítica e informativa. Teve reconhecimento nacional e internacional com as suas análises sobre a covid-19 no Brasil.

Gustavo Cabral – Nascido em Tucano, o imunologista Gustavo Cabral coordena equipe do Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, que desenvolve a vacina contra o novo coronavírus. Seu trabalho de pesquisa no desenvolvimento do imunizante brasileiro lhe rendeu notoriedade e ele se tornou figura de referência para falar da pandemia no país nos principais veículos de comunicação. 

Jaqueline Goes – Biomédica e mestre em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa, ela coordenou a equipe que mapeou os primeiros genomas do novo coronavírus no Brasil, em apenas 48h, o que permitiu um maior conhecimento da doença no país. A descoberta a tornou uma das cientistas mais famosas do país. Neste mês, faturou o Prêmio Capes de Tese em Medicina II com o trabalho ‘Vigilância genômica em tempo real de arbovírus emergentes e reemergentes’. Tamanho sucesso no campo científico também lhe rendeu destaques nas áreas de entretenimento e publicidade. 

***
HUMOR E INTERNET

Curadoria: Nereida Albernaz, jornalista e digital influencer especialista em celebridades, apresentou quadro sobre a vida dos famosos na Band TV (BA/SE). Assina a coluna Babadeira, neste site, e administra o @eubabadeira

Dum Ice – Em 2020, sua carreira ganhou novos desafios. O humorista foi convidado para estrelar séries no GloboPlay e Multishow, do Grupo Globo, e em breve vai pintar na plataforma Wolo. Além disso, expandindo empreendimentos e mostrando-se expert no assunto, o autor de personagens como Zói Pucu (sensação do Carnaval) e Koskó lançou um curso para quem quer investir na carreira de digital influencer.

Menor Nico – O garoto pobre da zona rural de Antônio Cardoso, no sertão baiano, viralizou com vídeos de humor e, apesar da voz desafinada, tornou-se cantor em 2020. Menor Nico caiu no gosto das celebridades e é a voz de um dos hits do verão, ‘Amor ou o Litrão’. Com a canção, interpretada em parceria com Petter Ferraz, se tornou o artista mais jovem a alcançar o 1° lugar do Spotify Brasil. Este mês, a plataforma Kondzilla lançou clipe da música com Menor Nico, Petter Ferraz e Mila alcançando, em apenas três semanas, 55 milhões de visualizações no YouTube. No Instagram soma 3,4 milhões de seguidores.

Sthefane Matos – Conhecida por abordar o life style nas redes sociais, Sthe Matos teve a vida bastante tumultuada esse ano. A paternidade do filho, o novo relacionamento e as cirurgias plásticas movimentaram a web, despertando um interesse surreal em cada passo que ela dava. Esse mês, a jovem criada no bairro de São Caetano, periferia de Salvador, que ficou rica com seu trabalho nas redes sociais, levantou a audiência do Encontro com Fátima Bernardes, na Globo, ao falar do arrependimento por ter feito rinoplastia. Passou de 8 milhões de seguidores só no Instagram.

***
ESPORTE

Curadoria: Herbem Gramacho, jornalista e editor de esportes do CORREIO

Ana Marcela (maratona aquática) – Numa temporada em que o Circuito Mundial só teve a primeira etapa, a nadadora pentacampeã mundial se desdobrou para manter a preparação para a Olimpíada de Tóquio em 2021 (ela já tem vaga assegurada): disputou competições locais na França, na Itália e em Portugal, além do Brasil. No total, oito provas realizadas no ano, com cinco medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze.

Beatriz Ferreira (boxe) – Campeã mundial e pan-americana em 2019, a pugilista Beatriz Ferreira continua em ótima forma neste 2020 de competições prejudicadas pela pandemia. Foi campeã brasileira neste mês, em São Paulo, e segue líder do ranking mundial. Também ganhou o Torneio dos Balcãs, o outro torneio que disputou após a retomada das atividades.

Natan Rodrigues (tênis) – O tenista se tornou, em outubro, o primeiro baiano da história a chegar à final do Torneio de Roland Garros, um dos quatro Grand Slam da modalidade. O título não veio, mas o vice entre as duplas na categoria juvenil confirmou o crescimento dessa promessa brasileira de 18 anos, que em 2020 conseguiu entrar no top 10 do ranking mundial – é o oitavo.

Fonte: Correio