Janeiro de 1991, praia da Barra lotada: 30 anos depois, interdição pré-Réveillon

Praia da Barra, entre o Farol e o Cristo, em 6 de janeiro e 1991
(Foto: Shirley Stolze/Arquivo CORREIO)

Essa é a praia da Barra, em janeiro de 1991, há seis anos, em pleno verão soteropolitano. Pela multidão, bem poderia ser o mesmo local na noite do dia 31 de dezembro de 1990. O ponto entre o Farol da Barra e o Cristo é um dos preferidos de baianos e também de turistas para curtir a virada do ano. De 2020 para 2021, no entanto, vai estar interditado.

O anúncio do fechamento da orla da Barra neste Réveillon foi feito na última quinta-feira (24), véspera de Natal, como uma tentativa de reduzir as aglomerações nas praias, que também estarão fechadas. O prefeito ACM Neto afirmou que não tinha condições de fechar toda a orla da cidade – não teria como fiscalizar – e, por isso, decidiu que, a partir das 17h da próxima quinta-feira (31), a orla da Barra será interditada.

Mesmo sem shows durante a virada desde 2013, a areia da praia da Barra costuma ficar lotada de gente que quer entrar o ano com o pé na areia, vendo a queima de fogos. Naquele ano, a festa de Réveillon no Farol da Barra, com shows gratuitos e um público médio de mais de um milhão de pessoas, mudou de endereço, já que a orla da Barra passava por obras.

Os shows não mais voltaram para o Farol da Barra – foram para a Praça Cayru, no Comércio, e depois para a Arena Daniela Mercury, na orla da Boca do Rio. Mesmo sem música, cada metro quadrado de areia seguiu sendo disputado na praia que, no resto do ano, perde em preferência para a vizinha, do Porto da Barra.

Fonte: Correio