EUA têm segundo dia seguido com recorde diário de óbitos, diz Johns Hopkins

Os Estados Unidos registraram, pelo segundo dia seguido, o seu número recorde de mortes diárias por coronavírus, segundo mostram dados compilados pela Universidade Johns Hopkins. Nesta quarta, 30, 3.744 americanos morreram de covid-19, ante 3 725 óbitos na terça-feira, dia 29. Ao todo, 342.634 pessoas já morreram pela doença no país, enquanto 19,8 milhões foram infectadas.

No mesmo dia em que liberou provisoriamente o uso emergencial da vacina da Sinopharm, a China identificou o primeiro caso da nova variante do coronavírus no país. Mais contagiosa, a cepa britânica do vírus “representa uma grande ameaça potencial para a prevenção e controle da covid-19 na China”, segundo afirmaram autoridades do país em documento.

Na Europa, Portugal registrou o maior número diário de infecções na véspera do Ano Novo, segundo informou a imprensa europeia. Foram mais 7.627 casos, para um total de 413.678 infecções, além de 6.906 mortes por covid-19. O repique de casos locais ocorreu após o governo português decidir flexibilizar as medidas restritivas antes do Natal. O primeiro-ministro Antonio Costa, porém, disse que ainda não é possível afirmar que o aumento das infecções veio por conta do relaxamento das restrições.

Já no Reino Unido, foram confirmados 55.892 novos casos hoje, junto a mais 964 mortes por coronavírus. O governo britânico já registrou 2.488.780 infectados e 73.512 óbitos pela doença, que tem se espalhado com mais velocidade na nação insular desde que a nova cepa local foi identificada pela primeira vez.

O ministério da Saúde da França informou hoje que o primeiro caso da variante sul-africana do novo coronavírus foi registrada no país. Esta variação, à exemplo da britânica, também tem se mostrado mais contagiosa do que a cepa original do sars-cov-2. O governo francês já confirmou 2.657.773 casos de coronavírus, além de 64.508 mortes, segundo a Universidade Johns Hopkins.

Em Israel, o ministério da Saúde local informou que 150,6 mil doses de vacinas contra a covid-19 foram administradas ontem no país, que contabilizou até agora 419.943 infecções e 3.318 mortes, de acordo com a Johns Hopkins. O número divulgado pela governo israelense eleva o porcentual de pessoas vacinadas acima de 10%, na comparação com a população total do país. Além disso, o dado isola Israel como o país com mais vacinações a cada 100 habitantes no mundo, com média de 9,18, segundo análise da plataforma Our World in Data, mantida pela Universidade de Oxford.
 

Fonte: Correio