Final de ano em Trancoso tem aglomerações, luxo, falta de leitos de UTI e muita polêmica

O distrito paradisíaco de Trancoso, pertencente a cidade de Porto Seguro, no sul da Bahia, está no centro das polêmicas envolvendo aglomerações de festas de fim de ano. Desde o último sábado (26) até o início da manhã dessa quarta-feira (30), a Policia Militar tinha encerrado pelo menos 43 eventos realizados no local. Desses, quatro foram de grande ou médio porte, com a presença de mais de mil pessoas, no total.  

A festa clandestina interrompida pela PM que mais repercutiu aconteceu na noite dessa terça-feira (29), no imóvel de luxo da cantora Elba Ramalho, que foi alugado durante esse período. Foi uma denúncia anônima que levou as guarnições até o local. O evento, segundo apuração inicial, teve ingresso comercializado através de redes sociais. Após encerrado, o público de cerca de 700 pessoas foi dispersado. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o responsável pela festa ilegal foi identificado e apresentado na Delegacia Territorial (DT) de Porto Seguro.  

Nas redes sociais, Elba gravou um vídeo explicando que não tinha conhecimento da realização da festa, embora estivesse em Trancoso, hospedada no resort Club Med. Ela não é a única famosa que anda pela região atualmente. Segundo apuração do Alô Alõ Bahia, o cantor Luan Santana embarcou num jato particular, na manhã dessa quarta, com destino a Trancoso, onde ficará hospedado em um luxuoso hotel do distrito.  

Também estão em Trancoso as influenciadoras Thássia Naves, a empresária Cris Arcangel e João Guilherme, filho do apresentador Faustão, que desembarcou com os amigos Matheus Farah (filho de Samira e Guilherme Leal, da Natura), Luiz Eduardo Magalhães Guinle, Carolina Andraus e Enrico Zarzur. O ex-sócio do BTG Pactual e um dos fundadores do banco digital C6Bank, Carlos Fonseca, também está no local, assim como o banqueiro Azuri Safra, filho mais velho de Moise Safra, cofundador do Banco Safra.  

Ainda segundo o Alô Alô, desde antes do Natal que o casal Donata Meirelles e Nizan Guanaes desembarcaram em Trancoso. Lá eles vão devem ficar durante dois meses, em isolamento. Guanaes é publicitário baiano radicado em São Paulo, mas com forte ligação com o distrito baiano. Nesse ano, ele escreveu uma música para estimular a preservação de Trancoso. A canção tem parceria com a própria Elba Ramalho. “A gente vai fazer um clipe também”, garantiu Guanaes. 

No entanto, todas esses famosos não foram flagrados em algum evento com aglomerações na cidade. Segundo dados da prefeitura de Porto Seguro, a população local de Trancoso é de cerca de 11 mil pessoas, e chega a dobrar durante o verão por causa do turismo.  

Fiscalização 
“A gente já tem o costume de atuar em no distrito nesse período, pois ele é badalado. As pessoas já tem o costume de vim pra cá no ano novo. Mas agora estamos aprimorando nossas operações com o foco de evitar aglomerações”, explicou o Tenente Coronel Anacleto França, comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar de Porto Seguro (8º BPM).  

É o tenente que coordena o trabalho de fiscalização no distrito, dentro da chamada Operação Verão. “Nós estamos dando cumprimento da ordem do governador, que proíbe eventos festivos em toda a Bahia. Atendemos desde pequenas ocorrências às festas maiores. Mesmo com a proibição, as pessoas insistiram em aglomerar por aqui”, disse.  

Esse decreto que o tenente se refere foi publicado no Diário Oficial do Estado no dia 4 de dezembro e está com validade até 4 de janeiro, podendo vir a ser prorrogado. De acordo com o texto, estão proibidas em todo o estado festas e shows de qualquer natureza, independente do número de participantes. Isso impediu que a Prefeitura de Porto Seguro colocasse em prática a autorização para a realização de pelo menos 30 eventos com mais de 1 mil pessoas (hiperlink) que ocorreriam na cidade na noite da virada.  

Mesmo assim, uma liminar teve que ser concedida pela juíza substituta de 2º Grau, Zandra Anunciação Alvarez Parada, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), proibindo o município de Porto Seguro, e o prefeito eleito, Jânio Natal (PL), de autorizar, permitir ou viabilizar a realização de shows e festas na cidade. Nessa segunda-feira (28), a liminar foi derrubada por um juiz da comarca de Porto Seguro, que permitiu eventos para até 200 pessoas.  

Menos de 24h depois, a pedido da Procuradoria Geral do Estado, a desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia Cinthya Maria Pina Resende suspendeu a eficácia da decisão do juiz de Porto Seguro. Com isso, até o momento, está proibida a realização de festas de fim de ano na cidade e autorizado a fiscalização da Policia Militar.  

Outros eventos 
Ainda segundo o tenente, houve um aumento de eventos sendo realizados em condomínios e casas de Trancoso. “As pessoas precisam entender que todo tipo de festa com aglomeração é proibido. Bar, restaurante e hotéis estão funcionando com restrições, mas sem fazer festas. Nós estamos com reforço no policiamento, com agentes fazendo hora extra e uma equipe de inteligência montada para identificar e proibir a realização desses eventos”, completou. 

Na segunda (28), uma festa particular também foi encerrada em um condomínio de luxo Altos de Trancoso. O evento tinha cerca de 200 pessoas. A polícia afirmou que os participantes da festa não estavam usando máscara e não respeitavam o distanciamento necessário para evitar a transmissão do novo coronavírus. O dono da festa chegou a fugir do local, mas foi identificado pelas autoridades.  

Dois dias antes, no sábado (26), outra festa com cerca de 200 pessoas foi encerrada pela polícia em um condomínio de luxo de Trancoso. O evento era chamado de “Sarará” e foi divulgado em redes sociais. O responsável pelo evento também fugiu do local com a chegada dos policiais militares.  

O distrito de Trancoso possui apenas dois leitos clínicos para tratamento da covid-19 e nenhum de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Só no Hospital Luís Eduardo Magalhães (HDLEM), na sede de Porto Seguro, que possui 10 leitos de UTI exclusivos para a pandemia, com 60% de ocupação no início da tarde dessa quarta.  

No entanto, esses leitos de UTI são destinados também para moradores de outras cidades da região: Belmonte, Eunápolis, Guaratinga, Itabela, Itapebi, Itagimirim e Santa Cruz Cabrália. Ainda nessa região do extremo-sul baiano, a cidade de Eunápolis possui 20 leitos de UTI, com 90% de ocupação, e Teixeira de Freitas tem 15 leitos de UTI, com 80% ocupados.  

Operação 
No total, segundo a SSP, seis mil policiais militares atuarão no dia 31 de dezembro, fiscalizando possíveis festas ilegais, em todo o território baiano, inclusive em Trancoso. As unidades territoriais e especializadas darão atenção especial às praias, condomínios, hotéis, bares e espaços com histórico de eventos. 

Em Salvador, os bairros da orla marítima contarão com patrulhamento reforçado. Viaturas quatro e duas rodas, além de aeronaves serão empregadas. Regiões mais populares, com registros recentes de paredões, também serão verificadas. Na RMS e interior, principalmente nas cidades turísticas, as guarnições realizarão patrulhamento terrestre e, se necessário, com uso de embarcações para acessos às ilhas. 

“Contamos com a população. Baianos e turistas precisam colaborar e respeitar os decretos estaduais”, declarou o comandante de Operações da PM, coronel Humberto Sturaro. 

Para evitar a propagação da Covid-19 na capital baiana, a Prefeitura montou uma operação especial em diversos pontos da cidade para coibir aglomerações e assegurar o cumprimento dos protocolos sanitários de combate à doença. A Guarda Civil Municipal (GCM) disponibilizará mais de 100 agentes em toda região da Barra, Comércio, Rio Vermelho, Piatã e Itapuã, com o intuito de garantir o ordenamento nos locais. Além disso, a ação contará com viaturas, motocicletas e auxílio de um drone.  

“Haverá uma grande operação na Barra e no Comércio, onde, a partir das 17h do dia 31 de dezembro, será feito o controle de acesso ao trânsito por parte da Transalvador. Especificamente na Barra, a GCM utilizará gradis e tapumes para interdição dos pedestres no calçadão e na praia. As ações serão finalizadas no primeiro dia do ano, às 6h”, explica o diretor de Segurança Urbana e Prevenção à Violência, Maurício Lima.  

Ainda na Barra, Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) fiscalizará o funcionamento do comércio. Bares e restaurante poderão funcionar no dia 31 até as 17h. “No local e em outros bairros da cidade também iremos observar se os estabelecimentos estarão obedecendo às regras de distanciamento mínimo das mesas, se há dispensers de alcool em gel, tapetes sanitizantes, entre outras medidas protetivas”, assegura o coordenador de fiscalização da Sedur, Everaldo Freitas.  

Já a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) contará com fiscais em dois turnos nas áreas onde haverá queima de fogos de artifício na cidade (as localidades não foram divulgadas para evitar aglomerações). Serão disponibilizados 100 prepostos para a fiscalização do ordenamento do comércio de rua, com o objetivo de coibir qualquer tipo de atividade irregular. Além disso, fiscais de poluição sonora atuarão com uma força-tarefa reforçada. Na faixa litorânea, a Semop disponibilizará salva-vidas no trecho que corresponde do Jardim de Alah até Ipitanga.  

Por fim, a Marinha do Brasil está realizando a Operação Verão 2020/2021 com reforço na fiscalização de embarcações no litoral da Bahia. A operação é realizada nos locais de maior concentração de embarcações e nos principais terminais marítimos do estado, com a disposição de equipamentos que auxiliam no controle e fiscalização.  

Restrição 
Na contramão do que tem feito a cidade de Porto Seguro, algumas prefeituras baianas estão restringindo o acesso de turistas nesse período festivo. É o caso de Palmeiras, Saubara e Mata de São João, famosas por destinos como Vale do Capão, Praia de Cabuçu e Praia do Forte, respectivamente. Lá, além de proibirem eventos de fim de ano, as prefeituras também publicaram decretos proibindo a entrada de ônibus e vans de turismo nos municípios, com atuação da guarda municipal.  

* Com orientação do chefe de reportagem Jorge Gauthier 

Fonte: Correio