Suzana toma posse como prefeita e garante gestão mais próxima do povo

A prefeita Suzana Ramos (PSDB) e o vice Leonardo Bandeira (SD) tomaram posse em Juazeiro nesta sexta-feira (1). Ambos assumem a responsabilidade de administrar e governar Juazeiro pelos próximos quatro anos. Em meio a muito entusiasmo, o primeiro dia do ano ficará marcado na memória da cidade: Suzana é a primeira prefeita da história da cidade. 

Durante a cerimônia, no Complexo Multieventos da Univasf, a nova gestora citou a Santa Dulce dos Pobres e garantiu que a Prefeitura de Juazeiro será mais humana e próxima do cidadão. 

“A minha política é de amor ao próximo. Quem ama cuida, acolhe, se preocupa, pensa no outro e promove o bem. Juazeiro terá um novo tempo de trabalho”, disse Suzana.

A nova prefeita de Juazeiro se disse consciente dos grandes desafios para promover as mudanças necessárias para que o município volte a ter destaque positivo no cenário nacional. Ela também ressaltou que não tem medo dos obstáculos deixados pelos governos anteriores e que com a experiência adquirida ao longo dos seus três mandatos como vereadora, associada às ideias e iniciativas do seu grupo de trabalho, vai ser possível alcançar os objetivos traçados para esta gestão. 

Suzana ainda enfatizou que pretende dar uma atenção especial ao atendimento da população em todos os setores, buscando resultados ainda mais eficazes na saúde, assistência social, educação e desenvolvimento rural e urbano, bem como na geração de emprego e renda.

“Quando agimos com responsabilidade, cuidando da saúde das pessoas, da infraestrutura, da criação de emprego e renda e de tantos outros deveres, temos a oportunidade de transformar vidas. Conto com minha valorosa equipe de trabalho e com cada juazeirense nessa missão”, disse.

Sem transição
Suzana diz que não teve direito a transição de governo junto à última gestão, de Paulo Bonfim (PT). Por isso, afirma que não teve acesso a documentos como o da pasta de saúde.

Mesmo assim, Suzana adianta que o município deve seguir o plano nacional de vacinação, dentro dos critérios legais estabelecidos.

“Com o diagnóstico realizado da situação da saúde, será possível tomar as providências cabíveis com a maior agilidade possível, a fim de melhorar os atendimentos ambulatoriais, emergenciais e de cirurgias eletivas”, afirma. 

Também por não ter tido acesso a todos os dados da prefeitura no período de transição, ela não especificou que medidas seriam adotadas para mitigar os efeitos da queda na arrecadação. 

“No entanto, a nova equipe estará empenhada em fazer um levantamento de todas as informações, para que o planejamento seja feito com eficácia em cima da realidade financeira municipal. O desafio será promover iniciativas que possam oportunizar a população, como geração de emprego e renda”, diz.

Fonte: Correio