Novos tempos, novas histórias: 10 livros que fogem dos contos de fada tradicionais

Não dá mais para começar  a contar uma história com aquele tradicional ‘era uma vez’. É melhor virar essa página porque as princesas não são nada indefesas nem donzelas tão frágeis – e muito mais reais. Os heróis, antes montados em um cavalo branco, conquistam pela gentileza e sensibilidade. Ainda bem. No lugar da Ariel que perde a voz para tentar ganhar o príncipe, a sereia revolucionária vai impedir que ele se afogue. O pequeno príncipe é negro, assim como a Chapeuzinho Vermelho. E os meninos gostam de cuidar de jardins, enquanto as meninas decidem escalar montanhas, montar uma banda, ou quem sabe,  se tornar cientista. Por que não? 

Como num passe de mágica, a gente trouxe 10 sugestões de livros que quebram todos os padrões presentes nos clássicos mais conhecidos para crianças. São narrativas que discutem questões de gênero, empoderamento e raça com lições importantes, sem perder nem um pouquinho de magia, muito menos de encantamento.

“Os contos de fada sempre tiveram, e ainda têm, o propósito de fazer sonhar, de convidar a criança a mergulhar na história. Para isso, é preciso que ela consiga se enxergar”, destaca a diretora da Plan International Brasil, Cynthia Betti. 

A Plan é uma ONG que desenvolve projetos de capacitação e empoderamento de crianças e adolescentes. Recentemente, a entidade lançou a coleção Princesas Revolucionárias. A renda obtida com  a venda é usada para investir  nas Escolas de Liderança para Meninas.

“Criança negra, quilombola, branca, asiática, cigana, com deficiência. Criança de pais separados,  de duas mães, de dois pais, criada pela avó ou pela tia. São contos de fada que criam possibilidades maiores de conexão da criança com a história”. 

O mundo mudou e as crianças precisam acompanhar essas mudanças e ir além do final feliz. Para a coordenadora do clube de assinaturas de livros infantis Leiturinha, Caroline Lara, um livro não só tem o papel de agregar, mas também de provocar o leitor e, às vezes, o transformar.

“Temáticas antes consideradas tabus ou discussões que não eram tidas como apropriadas para crianças, hoje, são indispensáveis para a formação, dando repertório para que elas possam protagonizar transformações sem a limitação dos preconceitos, estereótipos e crenças”. Agora é só conferir abaixo algumas dessas histórias.

1. Chapeuzinho Vermelho e o Leão Faminto
Alex T. Smith  

“O autor conta uma história um tanto moderna, que se passa em um lugar diferente: a Savana. Os personagens europeus dão lugar a uma família negra. E Chapeuzinho, assume o protagonismo com muita moral”. (Caroline Lara, da Leiturinha) 

(Foto: Divulgação)

Valor: R$ 30 a R$ 39

2. Amoras
Emicida

“O livro, que foi escrito pelo artista e dedicado à sua filha, aborda representatividade, preconceito e autoconfiança, trazendo a paternidade presente e amorosa como fator importante para o desenvolvimento das crianças”.  (Cynthia Betti, da Plan Brasil)

(Foto: Divulgação)

 Valor: R$ 17,96 a R$ 29,90

3. O Pequeno Príncipe Preto
Rodrigo França 

“É um livro que trabalha a  representatividade negra, ao apontar para um tema que contribui não só para a criatividade, imaginação, mas principalmente para o posicionamento social”. (Tatiane Anzini, criadora do canal de contação de histórias Turma da Tia Tati) 

(Foto: Divulgação)

Valor: R$ 35,11 a R$ 39,90

4. A Banda das Meninas
 Emilia Nuñez  

“Escrito por uma baiana, o livro conta a história uma menina apaixonada por música. Só que os meninos não aceitam ela na banda… É quando Leiloca toma uma decisão incrível para realizar o seu sonho”.  (Lisa Vietra, contadora de histórias e arte-educadora)

(Foto: Divulgação)

Valor: R$ 39,51

5. Princesas escalam montanhas?/ Ninjas cuidam do jardim?
Rafaela Carvalho 

“Os livros trazem lições de autoconfiança, encorajamento, sensibilidade e igualdade para meninas e meninos”. (Andrea Menegatti, criadora da Ludic Brinquedos)

(Foto: Divulgação)

Valor: R$ 56 (cada)

6. Coleção Antiprincesas
Sur Livros Editora

“Fortes, talentosas, inspiradoras, corajosas e reais. A coleção vai para além dos Contos de Fadas e conta sobre a vida e a obra de mulheres latino-americanas como Frida Kahlo, Violeta Parra e Clarice Lispector”. (Caroline Lara, da Leiturinha)

(Foto: Divulgação)

Valor: R$ 17,92 a R$ 35,10, a depender do título

7. Tainãly – Uma menina maraguá
Lia Minapoty  

“Neste livro bilingue, escrito em português e em maraguá pela autora indígena, a personagem nos leva a conhecer o seu dia a dia, as suas brincadeiras, seu cotidiano, os seus valores e costumes”.  (Lisa Vietra, contadora de histórias e arte-educadora)

(Foto: Divulgação)

Valor: R$ 39,87 

8. Ada Batista, cientista
Andrea Beaty 

“Tudo está em movimento e em transformação, não seria diferente com a literatura infantil ou com os contos de fadas. A história de Ada mostra que  as profissões não possuem gênero e as meninas podem ser o que elas quiserem”.  (Tatiane Anzini,  do canal Turma da Tia Tati)

(Foto: Divulgação)

Valor: R$ 19,90 a R$ 49,90

9. Coleção A Revolução das Princesas 
Plan Brasil
 

“Cinderela, Ariel,  Rapunzel  e Aurora, são jovens decididas e corajosas que salvam príncipes, ficam contentes quando são convidadas para ir ao baile porque gostam de dançar, e não porque querem se casar”.  (Cynthia Betti, da Plan Brasil)

(Foto: Divulgação)

 Valor: R$ 120 ou R$ 35 cada livro

10. Eu e meu medo
Francesca Sanna  

“Como é possível entrar em um grupo sem conseguir entender ninguém? A história do livro escrito por Francesca é sobre como fazer amizades e encontrar conforto quando compartilhamos nossos medos”  (Andrea Menegatti, da Ludic Brinquedos)

(Foto: Divulgação)

Valor: R$ 29,90 a  R$ R$ 44,90

Fonte: Correio