Vale a pena investir em ações mesmo na pandemia?

Vale a pena investir em ações? Como eu posso começar? Marcos Santana

Olá Marcos. Em 2020 houve um significativo aumento no número de CPFs operando na Bolsa de Valores, a nossa B3, fruto de um cenário de juros baixos na renda fixa, com o CDI abaixo de 2% ao ano. Isso é bom, mas é importante ter cuidado para não contratar produtos que estejam dissonantes do seu perfil e incoerentes em relação ao capital que possui. O investimento em Ações é uma opção para quem deseja diversificar a carteira de investimento em busca de melhores ganhos, equilibrando um pouco o resultado, já que as opções em renda fixa estão um pouco mais acanhadas. Tenha em mente que a renda variável é mais uma opção para sua estratégia de investimento, você não ficara rico da noite para o dia investindo em Ações, como disse, faz parte de uma estratégia para que seus investimentos possuam resultados um pouco melhores quando comparados com os produtos de renda fixa. Para iniciar nesse mundo de investimento é importante estudar um pouco sobre o assunto, busque através dos órgãos oficiais como a CVM, a AMBIMA, a própria B3, cursos e orientações sobre esse mercado, além disso, se preferir, consulte um profissional da área que seja de sua confiança e possa lhe orientar. Não deixe a ansiedade ditar as regras do seu investimento, esse é o caminho mais rápido para o fracasso nesse tipo de mercado.

Não teve jeito. Virei o ano com dívidas. Como eu posso quitá-las esse ano? Anônimo

Olá Anônimo. O processo de endividamento normalmente ocorre quando o indivíduo tem atitudes cotidianas que promovem o gasto excessivo em relação à sua renda, gerando um deficit que vai se acumulando ao longo do tempo, tendo os juros como principal fator que potencializa o aumento dessa dívida, construída, às vezes, ao longo de anos com esse tipo de atitude, e chega em um determinado momento que o processo sai totalmente do controle. Um processo de endividamento se resolve a partir da vontade e determinação em dar uma solução definitiva, e esta, vai durar o tempo necessário para cumprir todas as etapas do ciclo de reorganização financeiro. O primeiro passo é buscar entender quais são e quanto representa cada dívida que possui. Depois disso, faça um diagnóstico financeiro para entender qual a sua capacidade de pagamento dessa dívida, e não menos importante, reprogramar seus gastos para que possa sair desse processo o mais rápido possível. Com esses dados em mãos, procure cada credor e faça a melhor negociação possível, tendo em mente que não deve, em nenhuma hipótese, aceitar acordos que não possa honrar. Isso só aumentará o seu problema.

Tem dúvidas sobre Finanças Pessoais? Mande um e-mail para carteiracorreio@redebahia.com.br

Fonte: Correio