Shippados, série estrelada por Tatá Werneck e Eduardo Sterblitch, estreia na TV Globo

Última série escrita por Alexandre Machado e Fernanda Young, a série Shippados – original Globoplay e lançada em 2019 –  estreia nesta terça (12)  na TV Globo, às 23h50.  Protagonizada pelo casal Rita (Tatá Werneck) e Enzo (Eduardo Sterblitch) , a comédia romântica gira em torno de uma relação que tenta sobreviver em meio às incertezas digitais: dois jovens que, depois de muitos encontros frustrados mediados por aplicativos, finalmente se conhecem e percebem que têm muito em comum. 

Com uma análise sarcástica das tentativas de se achar o par perfeito através de algoritmos da internet, Shippados mostra como o amor pode surgir de alguns desencontros, em situações inesperadas e na simplicidade do dia a dia.  “Acho que todo mundo vai se identificar de alguma forma, ou identificar algum amigo nesses personagens. Tentamos ser muito verdadeiros na composição dos tipos. Queremos que o público consiga rir de si mesmo. Por mais ‘likes’ que receba, você vai acabar precisando de alguém para amar”, falou Fernanda Young na época do lançamento. 

Rita (Tatá Werneck) e Enzo (Eduardo Sterblitch) encarnam um casal “bugado”, cheio de dúvidas e com dificuldades de se enquadrar no mundo de realidades distorcidas do ambiente virtual. “A série discute a persistência do amor num contexto em que tudo é fluido, efêmero, rápido e imprevisível. Os personagens se conectam por suas solidões e estranhezas”, afirma a diretora Patricia Pedrosa.

Rita (Tatá Werneck) é uma atendente de supermercado multitraumatizada, cuja família é a principal causa de seus dramas. A mãe, Dolores (Yara de Novais), fez com que a filha crescesse achando que foi abandonada pelo pai aos seis anos de idade por causa de suas tosses incessantes. Nos vídeos que dispara na rede, Rita mostra suas particularidades mais bizarras. “Ela é vítima do excesso de intimidade e da normalidade dessa exposição na internet. Rita vive entre dois conflitos básicos: o trauma em relação à infância e o fracasso na vida profissional”, analisa o autor Alexandre Machado.

Unidos pelas frustrações amorosas causadas pelos encontros marcados por aplicativos, Rita e Enzo decidem experimentar um romance mais à moda tradicional. De personalidade introspectiva e com dificuldades para se relacionar, Enzo precisa lidar com a complicada missão de dividir o apartamento com Valdir (Luis Lobianco) e sua namorada Brita (Clarice Falcão), dois adeptos do nudismo, sem nenhuma noção de limites.  Além de Valdir, ele é amigo de Hélio (Rafael Queiroga), um novo colega de trabalho, que acaba sendo apresentado à também nova colega de Rita, Suzete (Júlia Rabello). Ela, por sua vez, vai dividir com Rita o balcão de informações do supermercado.

Os seis jovens adultos – cada qual com seus medos e desejos típicos do mundo atual – vão embarcar numa viagem para encontrar o pai de Rita e, assim, ajudá-la a superar os traumas de um passado mal resolvido e de um presente conturbado. Juntos, Enzo, Rita Valdir, Brita, Suzete e Hélio vão questionar os limites da interação nos dias de hoje e atentar para as ciladas da vida em rede. Será que vai dar match?

Para Tatá Werneck, Shippados conta a história de duas pessoas que querem muito ser amadas, apesar das desilusões pelas quais já passaram. “A Rita tenta, através de aplicativos de relacionamento, encontrar o homem ideal, alguém que a ame e que ela consiga amar. Só que ela tem vários critérios e, num desses encontros fracassados, encontra o Enzo que também tem seus encontros fracassados. Eles se encontram nessa dor, nessa angústia, nessa solidão. A relação deles é de verdade, não é uma relação protegida onde você conhece primeiro as maravilhas de alguém e depois os defeitos. Eles já começam pelos erros, pelos defeitos”, resume a atriz. 

Fonte: Correio