Vacinas da gripe e da Covid podem ser aplicadas juntas? Especialistas explicam

Daqui a exatamente 12 dias o Brasil inicia uma nova e grande campanha de vacinação, desta vez contra a gripe. Mas, atualmente, o país está mobilizado para imunizar o maior número de pessoas contra a Covid-19.  

As ações para combater as duas enfermidades, conforme destacaram especialistas, podem ser realizadas juntas. Contudo, alguns detalhes devem ser seguidos para que uma vacina não tire o efeito da outra.

De acordo com o Ministério da Saúde, a aplicação das doses deve ter no mínimo 14 dias de intervalo. “Caso contrário, um imunizante pode anular o efeito do outro. Por isso, é importante ficar atento ao prazo”, explicou o infectologista e professor da UFMG Unaí Tupinambás.

O especialista, que integra o Comitê de Combate à Covid em Belo Horizonte, ainda frisou que mesmo quem já foi imunizado contra o novo coronavírus, deve receber a vacina que protege contra os vírus da Influenza (gripe). E, aqueles que ainda não foram contemplados com o imunizante da Covid, mas têm direito ao da gripe, devem tomar.

“Mesmo quem vai tomar da Covid deve tomar da gripe. A Influenza pode ser potencialmente grave, principalmente em idosos, gestantes e quem tem comorbidades. No mundo, a gripe mata mais de 600 mil pessoas por ano”, destacou.

Também infectologista e professor da UFMG, Dirceu Greco ressaltou que, quanto mais proteção contra qualquer tipo de enfermidade, menos sobrecarga no sistema de saúde. Atualmente, Minas Gerais e outros Estados estão em colapso devido ao grande número de vítimas da pandemia.

“Existe mortalidade por influenza e a vacina oferecida pelo SUS imuniza contra três tipos de vírus. E, quanto menos risco a pessoa tiver, menos chance dela ter agravantes”, frisou. Além disso, o profissional ressaltou que os sintomas das duas doenças podem ser semelhantes. Então, se protegido contra uma das enfermidades, o diagnóstico fica mais fácil.

Em nota, a Prefeitura de BH reforçou que as duas vacinas serão utilizadas ao mesmo tempo, mas com intervalo mínimo de 14 dias, antes ou depois, entre as aplicações. “O calendário e os públicos da campanha de vacinação contra a Influenza são definidos pelo Ministério da Saúde. A secretaria aguarda o envio das doses da vacina e está estruturando a estratégia de vacinação”, informou.

Já a Secretaria Estadual de Saúde (SES) destacou que, em Minas Gerais, 8.433.043 estão incluídas nos prioritários para a vacinação contra a gripe. Nos 853 municípios do Estado, a campanha terá três fases. Confira abaixo quais são elas:  

Etapa 1 – 12 de abril a 4 de maio
– Crianças até 6 anos
– Gestantes / Puérperas
– Povos indígenas
– Trabalhadores da Saúde

Etapa 2 – 11 de maio a 8 de junho
– Idosos com mais de 60 anos
– Professores

Etapa 3 – 9 de junho a 9 de julho
– Pessoas com comorbidades
– Pessoas com deficiência
– Trabalhadores de transporte coletivo
– Trabalhadores portuários
– Forças de Segurança e Salvamento
– Forças Armadas
– Funcionários do Sistema de Privação de Liberdade
– População privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas

Fonte: Agencia Brasil