PGE completa 55 anos com renovação diante do combate à pandemia

Com 55 anos de existência completados neste domingo (4), a Procuradoria Geral do Estado da Bahia (PGE) enfrentou um último ano de superação e renovação. O órgão teve que se reinventar e ressignificar seus valores para ajudar o governo do estado a enfrentar a pandemia da covid-19 e, consequentemente, salvar vidas. 

Consciente do papel que tem, a PGE mobilizou todo o corpo de servidores para o enfrentamento do problema. Por isso, desde o começo, a PGE tem atuado em importantes ações judiciais, a exemplo daquelas que tiveram como objetivo a compra e aplicação de vacinas, a abertura e custeio de UTIs, a manutenção de medidas restritivas, o auxílio ao comércio local, aumento da arrecadação, dentre outras. 

Nos últimos anos, o órgão vem consolidando projetos prioritários que contribuem para o atendimento rápido e eficaz das demandas da administração pública estadual e da sociedade baiana. Para conseguir isso, houve um amadurecimento organizacional e administrativo da instituição.

“O novo modelo de organização da PGE está inspirado nos mais avançados princípios da Gestão Pública com ênfase na descentralização e na especialização das funções e com foco nos resultados práticos das ações administrativas. Todas as mudanças pelas quais a PGE passou ao longo dos últimos anos contribuíram com o propósito da instituição assegurar a eficiência e a agilidade dos processos, estimulando e propiciando a atuação pró-ativa e propositiva da Procuradoria Geral do Estado em face a Administração Pública”, afirmou o procurador geral do Estado, Paulo Moreno.

Ações 
Algumas das ações desenvolvidas pela PGE incluem o desenvolvimento do projeto de Gestão Estratégica de Pessoas no órgão, que tem dado passos importantes; a implantação da Central de Atendimento e Cobrança de dívidas de IPVA, que já tem apresentado ótimos resultados, gerando incremento da arrecadação e os eventos, cursos e capacitações oferecidos pela PGE com apoio dos seus parceiros – que, por sua vez, agregam conhecimento ao corpo funcional da instituição.

Além disso, houve a implantação de novas tecnologias de informação para facilitação dos trabalhos; a criação do projeto de nova estrutura organizacional do órgão, que visa identificar qual o modelo mais adequado para a instituição; a alimentação de perfil em redes sociais, que tem possibilitado uma melhor comunicação e interação do órgão com o seu público alvo; a realização de pesquisas para medir o nível de satisfação dos diversos públicos em relação ao órgão e a maturidade da instituição na área de gestão e governança e muitos outros projetos de igual relevância.
 

Fonte: Correio