Blitze da Lei Seca autuou mais de 700 motoristas em três meses

A Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) mantém a realização diária de blitze da Lei Seca na cidade mesmo durante a pandemia do coronavírus. De janeiro a março deste ano, 706 dos 5.868 motoristas abordados foram autuados por dirigirem alcoolizados ou por terem recusado passar pelo teste no etilômetro (popularmente conhecido como “bafômetro”). Isso representa uma média de sete cidadãos por dia. 

Somente no último fim de semana, foram 22 condutores autuados, dentre os 234 abordados. Além disso, sete veículos foram removidos e duas Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH) foram recolhidas.

As abordagens ocorrem sempre em regiões alternadas e contam com o apoio da Guarda Civil Municipal (GCM). Segundo o titular da Transalvador, Marcus Passos, as blitze têm se mostrado efetivas estratégias para garantir um trânsito seguro e preservar vidas, principalmente neste período de sobrecarga no sistema de saúde provocado pela Covid-19.

“Nossos agentes estão diariamente nas ruas com o intenso trabalho para coibir condutas irresponsáveis. Pedimos aos condutores que não dirijam após terem consumido bebidas alcoólicas, porque estarão colocando não só as vidas deles em risco como, também, a de outras pessoas”.

Em conjunto com outras medidas, as fiscalizações de trânsito têm contribuído para a redução dos acidentes com mortes na cidade. No final de 2020, a redução do número de vítimas fatais em acidentes de trânsito em Salvador foi de 51,5% em relação ao quantitativo registrado em 2010. No ano passado, houve 129 mortes em acidente na cidade – em 2010, foram registradas 266 mortes.

Protocolo
Para evitar possíveis contaminações e garantir a saúde do cidadão e dos servidores, foi adotado um protocolo de segurança. Todos os agentes foram orientados a reforçar ainda mais a higienização dos equipamentos usados a cada teste realizado e evitar aglomerações nas abordagens. 

Quem passar pelas blitze terá a temperatura aferida. Só passará pelo etilômetro o condutor que estiver com a temperatura abaixo de 37,8°C. Após isso, o motorista deverá sair do veículo e fazer o teste no local especificado pelo agente. O bocal usado no equipamento será aberto na presença do cidadão e descartado após o teste.

Os mesmos cuidados são adotados pelos profissionais da Transalvador que participam das abordagens. Eles usam máscaras, luvas, óculos ou protetor facial. Álcool em gel é disponibilizado para cada equipe.

Penalidades
O artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê que dirigir sob a influência de álcool, ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência, é considerado infração gravíssima, com penalidade de multa no valor de R$2.934,70, além da suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Além disso, é aplicada também a medida administrativa, que prevê a retenção do veículo até a apresentação de condutor habilitado e recolhimento do documento de habilitação. Se recusar a fazer o teste, exame clínico, perícia ou outro procedimento que permita certificar influência de álcool ou outra substância psicoativa, também é uma infração de trânsito passível das mesmas punições.

Fonte: Correio