Mônica Martelli chora ao falar de Paulo Gustavo: 'Medo de perder amigo que é irmão'

A atriz Mônica Martelli se emocionou ao falar sobre o amigo Paulo Gustavo, que está internado na UTI tratando a covid-19. Durante o programa “Saia Justa” , no GNT, a atriz chorou ao falar sobre a doença do amigo. O vídeo foi compartilhado nas redes sociais do canal. Mônica disse se considerar uma mulher forte, mas disse ter medo de perder o amigo. 
 
“Sou uma mulher forte. Me considero uma mulher forte porque enfrento os problemas, não finjo que não vejo. Ser forte não é não pedir ajuda. Faço terapia há muito tempo, tenho ferramentas psíquicas para lidar com a dor e o medo, mas desculpa…”, disse Mônica, antes de começar a chorar. 

“Estou sentindo muito medo de perder um amigo que é meu irmão. A minha irmã, que vocês conhecem, é a melhor amiga do Paulo Gustavo hoje, ela é diretora dele, ela é médica, ela tem relação multifacetada com Paulo Gustavo porque ela exerce muitas funções. E por ela ser médica e estar ali o tempo inteiro, ela sabe de todo o leque de complicações. E ao mesmo tempo ela passa otimismo para a gente. Eu pergunto: ‘como você consegue ter essa força?’ E ela fala: ‘Mônica, eu vou me manter forte até o Paulo Gustavo sair pela porta daquele hospital, depois eu desabo'”, disse a atriz e apresentadora

Mônica falou que apesar de saber sobre o estado de saúde do amigo diariamente e ser amparada pela irmã, ela tem convivido com medo. “Tem dia que eu estou mais tranquila, mas estou convivendo com esse medo constante que está me exaurindo. Mas a fé, ela é inabalável, hoje a gente fez uma oração e eu acredito muito. Mas mesmo com esse otimismo todo tem uma hora que a gente não consegue.” 

De acordo com o último boletim médico de Paulo Gustavo, o ator teve uma evolução progressiva após o início do uso da ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea). Na quarta-feira (7), o médico Thales Bretas, marido do comediante, disse que Paulo Gustavo precisou de transfusão de sangue, mas que segue melhorando. Thales ainda pediu doações de sangue para o hospital e em outros locais.

Fonte: Correio