Dezenove respiradores sem uso são encontrados em hospital no Pará

A Secretaria Estadual de Saúde do Pará diz ter encontrado 19 respiradores pulmonares sem uso durante inspeção em um hospital em Belém, capital do estado. A unidade era gerida por uma OS (organização social), que já havia tido o contrato rescindido antes da descoberta.

Os equipamentos estavam no Hospital Abelardo Santos, na região norte de Belém. A descoberta ocorreu no fim de março, mas veio à tona após denúncias de que os respiradores estariam escondidos atrás de uma parede falsa, o que o governo estadual nega.

Em nota, a secretaria de Saúde do estado afirma que a inspeção no hospital foi feita durante a mudança na gestão no hospital. A antiga administradora, a OS Pacaembu, teve o contrato rescindido por problemas operacionais sem relação com os respiradores.

“No último dia 22/03, numa das inspeções de passagem de uma administradora para outra, encontramos 19 respiradores em uma sala, sem utilização”, disse a secretaria. “Imediatamente solicitamos a disponibilização dos aparelhos para a rede pública.”

O secretaria afirmou que abriu sindicância para apurar a razão pela qual os equipamentos não foram colocados para operar. Segundo a nota, eles sendo usados operando em outras unidades de saúde desde o fim de março.
O governo do Pará já foi alvo de três operações para investigar desvios de dinheiro público em contratos da área de saúde em 2020.

Em fevereiro, a Polícia Federal pediu ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) o indiciamento do governador Helder Barbalho (PMDB) em uma delas, que investiga a compra de respiradores pulmonares por R$ 50,2 milhões.
Segundo a PF, a operação investigada crimes como fraude a licitação, falsidade documental e ideológica e corrupção ativa e passiva. Barbalho nega as acusações.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a ocupação das UTIs do estado está hoje na casa dos 80%. Em março, o governador decretou lockdown de sete dias na região metropolitana de Belém para conter o avanço das contaminações.

“Se não tomarmos medidas mais duras, corremos sim o risco de colapsar o sistema de saúde e não há algo mais entristecedor do que ver um irmão ou uma irmã paraense querendo um leito, querendo a oportunidade de lutar pela vida e não conseguir”, disse ele na ocasião.

Segundo dados do governo estadual, o Pará contabilizava 450.972 casos confirmados de Covid-19 até este sábado (17). Foram 11.866 óbitos no estado.

A Folha ainda não conseguiu contato com a OS Pacaembu.

Fonte: Agencia Brasil