Estudante da UFSC pratica sexo com câmera ligada em aula online: 'constrangedor'

Um dos alunos que participava de uma aula online do curso de administração da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) foi flagrando praticando sexo com uma mulher com a câmera ligada. A professora, que percebeu de imediato o ocorrido, decidiu suspender a videochamada, e começar uma nova. O fato veio à tona nesta segunda-feira (19).

“Tem uma câmera ligada. Gente, eu não sei o que eu faço numa situação dessas. A única câmera ligada eu acho que é a câmera que não deveria estar ligada. Estou pensando em talvez desconectar aqui e conectar de novo. É constrangedor, evidentemente. A gente está gravando, inclusive, essa aula. Eu vou fazer isso, tá gente? A gente desconecta, vou tirar o link e a gente coloca de novo”, disse a docente, em evidente constrangimento.

A universidade se manifestou pouco depois que o vídeo foi divulgado e viralizou. “Já estão sendo adotadas as medidas administrativas cabíveis a fim de apurar as responsabilidades de um lamentável episódio ocorrido em uma aula remota de disciplina oferecida a uma turma do curso de graduação em Administração da UFSC.

O estudante responsável pela conduta já foi identificado. A depender de parecer de comissão específica, podem ser aplicadas penas de advertência, suspensão ou até mesmo exclusão”, informou a instituição de ensino. 

Leia a nota de esclarecimento da UFSC na íntegra:

A Coordenação do Curso de Graduação em Administração, a Direção do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) e a Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) da UFSC informam que já estão sendo adotadas as medidas administrativas cabíveis a fim de apurar as responsabilidades de um lamentável episódio ocorrido em uma aula remota de disciplina oferecida a uma turma do curso de graduação em Administração da UFSC.

O estudante responsável pela conduta já foi identificado e deverá ser apurado o ato, no sentido de reunir as provas e evidências da grave falta disciplinar, com base na Resolução Normativa Nº 17/CUn/1997. A depender de parecer de comissão específica, podem ser aplicadas penas de advertência, suspensão ou até mesmo exclusão.

A Coordenação do curso, a Direção do CFH e a Prograd prestam total solidariedade à docente responsável pela disciplina, ao mesmo tempo em que irão requerer a abertura de procedimento para apurar não apenas a conduta do estudante, mas dos responsáveis pela divulgação do vídeo em que está configurada a infração disciplinar.

Além disso, manifestamos nossa absoluta defesa da professora, do curso em todas as suas instâncias e da UFSC, que não têm medido esforços para manter a reconhecida qualidade do ensino e da formação, diante de todas as restrições, limitações e ameaças à universidade pública brasileira.

Fonte: Agencia Brasil