Ausência de toque inspira livro visual

O uso do tato passou a ser comedido desde o início do isolamento social provocado pela covid-19. Se tínhamos o hábito de abraçar, apertar as mãos ou beijar o rosto de alguém na hora de cumprimentar, passamos, no máximo, a dar aquela “cotoveladinha”, como mandam as regras sanitárias. Também evitamos tocar as coisas nas ruas ou passar as mãos nos corrimãos. Alguns até evitam apertar o botão do elevador e usam um objeto para substituir o dedo.

Foi dessa observação que nasceu o livro Tato: Leituras Sobre o Corpo, Distâncias e Presença, que será lançado em uma live neste domingo (25), no Instagram @aminebarbuda, às 11h30. A artista visual Amine Barbuda ilustra a publicação e organiza os textos junto com Carol Mendonça. Neemias Santana, Paula Carneiro Dias e Márcio Nonato, performers envolvidos no projeto, também estarão no lançamento.

Amine criou as ilustrações para o livro a partir de movimentos dos solos de dança dos três coreógrafos. Os vídeos destes experimentos coreográficos foram publicados no canal do YouTube do livro: http://www.bit.ly/youtubeTATO. Amine define o livro como “um mapa rugoso, uma cartografia para navegação das experiências”. 

O projeto de Tato é multilinguagem: além da referência à dança, há um texto de Carol Mendonça e o registro audiovisual das execuções coreográficas, que estão no audiolivro criado por Heitor Dantas e sua versão em vídeo por Jorge Oliveira. Os registros fotográficos das pinturas e desenhos foram feitos por Saulo Brandão. 

“Tato é concebido como um pequeno atlas mnemônico, um quebra cabeças perceptivo, cheio de espaços vazios, lacunas, lugares a serem percebidos e novamente preenchidos. Dance, leia, ouça o livro, toque, assista, as entradas são múltiplas, sinta à vontade”, afirma Amine.

Serviço

Domingo (25), 11h30, no instagram (@aminebarbuda). Preço do livro: R$60 / R$120 (acompanhado de livreto em braile) / eBook: R$ 60. Vendas em (www.p55.com.br) e na Amazon.
 

Fonte: Correio