Conheça os empreendedores que criaram a 1ª plataforma de dança streaming

Em comum, Mila Cardoso e Victor Hugo tinham o amor à dança e a vontade de iniciar juntos um negócio voltado para o mercado cultural, que unisse as experiências de ambos e a vivência dele como professor de dança e a dela, que é graduada em contabilidade e especializada em gestão de negócios. 

A experiência da pandemia expôs a fragilidade do segmento, que foi um dos mais atingidos pelas medidas restritivas e de isolamento social, esvaziando palcos e teatros. Inquietos, eles começaram a conversar com outros profissionais por meio de lives, realizadas no início do ano passado e surgiu a ideia de criar uma plataforma de streming (stagepluss.com/) voltada para dança e artes cênicas.

“Eu atuo como professor de dança em escolas regulares de ballet a 16 anos, sendo minha fonte principal de renda. Com o decorrer da pandemia, senti na pele como a classe era frágil, com todas as restrições, as aulas de dança foi a primeira coisa que foi cortada do orçamento da maioria das alunas, fazendo nossos salários diminuírem”, conta o coreógrafo Victor Hugo.  De um outro lado, a amiga Mila sempre incentivando a criar projetos.

“Eu sempre quis fazer alguma coisa que trouxesse toda comunidade de dança para uma mesma rede. Acho que as preocupações do futuro incerto do pós pandemia, aliado a várias vontades criaram a vontade e as ideias para empreender”, completa.

A crise os fez enxergar um nicho de mercado e juntos criaram e implantaram a primeira plataforma de streming voltada para dança: a Stage Pluss. A proposta ganhou corpo e patrocínio conseguido através do edital da Lei Aldir Blanc. As experiências dessa dupla que empreende no segmento de arte, cultura e entretenimento serão objeto da live Empregos e Soluções, do Jornal Correio, nessa quarta-feira, às 18 horas, na página do veículo no Instagram. 

Durante a conversa com a consultora Flávia Paixão, Mila e Victor contarão como o projeto vem ganhando visibilidade a ponto de terem sido convidados a participar dos encontros de networking e intercâmbio que integram a 14ª edição do VIVADANÇA Festival Internacional ( www.festivalvivadanca.com.br/networking2021/). “Acho que o que esses anos de trabalho com arte me ensinou a ter coragem para continuar, mesmo recebendo muitos ‘nãos’, e compreensão sobre o tempo de maturação das ideias e empreendimentos”, finaliza Mila.

Fonte: Correio