Com a prorrogação do prazo do IR, qual a vantagem para o contribuinte?

Qual a principal vantagem para o contribuinte da prorrogação do prazo de entrega do IR? Quem deixar para a data limite pode conseguir uma restituição maior? Adriano Vieira

Olá Adriano. Tradicionalmente, o prazo para envio da Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física é de 1º de março até 30 de abril, mas, por conta da pandemia, a Receita Federal resolveu dilatar esse prazo no ano passado e repetiu esse ano. Essa medida auxilia o contribuinte que está com alguma dificuldade em reunir os documentos necessários para o envio da declaração, seja por questões pessoais, profissionais ou, como tem ocorrido, por problemas de saúde, mas é apenas isso. Quem opta por fazer a declaração logo no início ou no final do prazo terá impacto apenas no tempo de recebimento da restituição, se for o caso. Quem declara primeiro recebe primeiro e quem deixa para declarar mais tarde, demora para receber o valor a restituir. Ou seja, não há nenhuma interferência direta no valor nominal da restituição. O que muda é a rentabilidade do valor a restituir, já que o Governo remunera pela Selic (taxa básica de juros). Portanto, quanto mais tempo demorar para sair a sua restituição, mais rendimento ela terá, nada mais além disso. Dependendo da sua estratégia e necessidade, vale a pena deixar para declarar no final.

Que investimento você recomenda para juntar os recursos necessários para quem quer abrir um negócio? Alan Souza

Olá, Alan. A decisão de empreender deve estar cercada de cuidados para garantir a sustentabilidade do negócio e o consequente sucesso. Para isso, é fundamental que se tenha um planejamento bem alinhado para conhecer os pontos cruciais de sua ideia e entender quanto precisará investir: qual o capital de giro necessário, tempo de retorno, público-alvo, dentre outras. Com essas informações, aí é avaliar e decidir que caminho seguir, inclusive, o caminho da reserva financeira para a realização desse sonho. No primeiro momento não importa o tipo de investimento, mas como fará para reservar o dinheiro necessário para o projeto, qual esforço mensal é necessário e o  montante mínimo para dar início às operações. De posse desses dados, é que começa a etapa de identificação do produto financeiro. Na verdade, a montagem de uma carteira de investimento adequada às suas necessidades e perfil. Estamos em um momento delicado da economia e a renda fixa tem produtos bons, mas com rentabilidade pequena. Considerando o objetivo do seu investimento, não é interessante aderir a produtos muito voláteis, como ações, fundos de ações, COE e outros. O ideal é buscar mesclar renda fixa com produtos de médio risco, como os fundos multimercados e fundos imobiliários, tudo isso com o devido cuidado e com a orientação de um profissional que entenda a sua necessidade e possa orientá-lo nesse momento.

Tem dúvidas sobre Finanças Pessoais? Mande um e-mail para a carteiracorreio@redebahia.com.br

Fonte: Correio