Donos de concessionárias preparam ofensiva contra a Ford na Justiça dos EUA

Donos de concessionárias da Ford em todo o país preparam uma ofensiva conjunta contra a montadora na Justiça dos EUA, em busca de reparação financeira por prejuízos causados pelo encerramento da produção de veículos da marca no Brasil. O grupo é formado por grandes e médias revendedoras de automóveis e produtos da montadora em diversos estados, incluindo a Bahia. Convictos de que a briga nos tribunais brasileiros se arrastaria anos a fio, os empresários decidiram travar o duelo em solo americano, onde disputas comerciais milionárias costumam andar com muita rapidez na Justiça local. 

Tropa montada
Segundo apurou a Satélite, as concessionárias escalaram advogados americanos especializados em batalhas jurídicas dessa natureza. Parte das mais de 280 revendas alega que a Ford parou de fabricar veículos no país sem aviso prévio, mesmo após investimentos das empresas que integram a rede da companhia no Brasil. A queixa abrange ainda o valor oferecido pela Ford a título de indenização, considerado irrisório.

Segue o fluxo
Atentos ao conflito entre os revendedores e a Ford, conselheiros do governador Rui Costa (PT) no alto escalão do Palácio de Ondina tentam convencer o petista a trilhar caminho idêntico. Avaliam que a ação nos EUA é a melhor forma de obter a recompensa que considera justa pela quebra no contrato com o estado, especialmente, perdas na arrecadação direta e indireta, além da área doada para a Ford em Camaçari. Ao mesmo tempo, alertam que a companhia negocia com o governo em banho-maria para reduzir o montante ou forçá-lo a ingressar na Justiça brasileira. Por isso, sugerem a Rui que recuse proposta de valor menor e leve o caso às cortes americanas.

Maré contrária
O Gaeco, grupo do Ministério Público do Estado (MP) voltado a combater organizações criminosas, enfrenta resistência para que o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ) conceda domiciliar ao advogado Marco Aurélio Fortuna Dórea, preso desde setembro pela Operação Inventário. Ligado ao esquema de fraudes na Vara de Família da capital, Dórea fechou delação e começou a detalhar o que sabe sobre venda de sentenças no TJ. Para o Gaeco, a domiciliar ajudaria o delator a fornecer novas provas, mas o pedido foi sucessivamente negado.

Tempo nublado
Parlamentares experientes da bancada baiana no Congresso preveem dias difíceis para o presidente Jair Bolsonaro na CPI da Covid. A estimativa tem como pano de fundo as últimas decisões do Supremo sobre a  comissão e os recentes movimentos de líderes do centrão nos corredores da Câmara e do Senado. Em especial, as costuras feitas longe dos olhos por caciques do PP, PSD e PL, em jogo combinado com fatias do MDB, DEM, PSDB e PSL.

Outra rota
Políticos simpáticos à candidatura do ex-ministro Ciro Gomes acham que o pedetista erra na tática de se firmar como antibolsonaro. Em suma, tal posto já é do PT e seria mais eficaz se colocar como único capaz de impedir a vitória do ex-presidente Lula e de Bolsonaro.

“Existe uma pequena minoria que, por motivos escusos, pessoais e inconfessáveis, não deseja a votação. Mas a grande maioria do povo torce e tem pressa na aprovação da prisão em segunda instância” – Arthur Maia, deputado federal pelo DEM da Bahia

Fonte: Correio