Paulo Gustavo morre aos 42 anos, vítima da Covid-19

A notícia que ninguém queria ler. Foi anunciada, agora há pouco, a morte do ator Paulo Gustavo Amaral Monteiro de Barros, ou simplesmente Paulo Gustavo. Sinônimo de alegria, de espontaneidade, de talento e de alto-astral, o artista nascido em Niterói tinha 42 anos e estava internado desde o dia 13 de março, em um hospital da zona sul do Rio de Janeiro, dias após ser diagnosticado com a Covid-19. Na noite desta terça (4), o boletim médico por volta das 20h informou que o quadro do ator era irreversível. Pouco mais de 1 hora depois, veio a notícia do falecimento. “Às 21:12h desta terça-feira, 04/05, lamentavelmente o paciente Paulo Gustavo Monteiro faleceu, vítima da COVID-19 e suas complicações. Em todos os momentos de sua internação, tanto o paciente quanto os seus familiares e amigos próximos tiveram condutas irretocáveis, transmitindo confiança na equipe médica e nos demais profissionais que participaram de seu tratamento.” 

Casado com o dermatologista mineiro Thales Bretas, ele deixa dois filhos, Romeu e Gael, nascidos em agosto de 2019 – os dois meninos, vale lembrar, aparecem, junto a Thales, em uma cena do filme “Minha Mãe é Uma Peça 3” (2019), da trilogia em que o ator interpreta Dona Hermínia, inspirada em sua mãe, Dona Déa Lúcia. 

Aliás, justamente na semana em que se celebra o Dia das Mães, Paulo, que ficou famoso após lançar a personagem, perdeu a luta contra o coronavírus. O longa-metragem se tornou a maior bilheteria da história do cinema nacional. O projeto viraria série do Globoplay e estava previsto para ser gravado assim que a pandemia estivesse mais controlada. 

 

No domingo (2) à noite, o estado de saúde de Paulo Gustavo se agravou bastante, embora, mais cedo, houvesse sido comunicado que, após a retirada de parte da sedação, o ator tinha, inclusive, interagido com o marido e a equipe médica.

Mais tarde, veio o novo boletim, dizendo que, subitamente, Paulo Gustavo havia apresentado uma piora acentuada do nível de consciência e dos sinais vitais, quando novos exames demonstraram ter havido embolia gasosa disseminada, incluindo o sistema nervoso central, em decorrência de uma fístula bronquíolo-venosa. E na terça (4), veio mais uma notícia devastadora dos médicos: “Após a constatação da embolia gasosa disseminada ocorrida no último domingo, em decorrência de fístula brônquio-venosa, o estado de saúde do paciente vem deteriorando de forma importante. Apesar da irreversibilidade do quadro, o paciente ainda se encontra com sinais vitais presentes.”

Trajetória.

Como ator, Paulo Gustavo formou-se na Casa das Artes de Laranjeiras (CAL), no início de 2005.  Mas já antes, no final de 2004, começava a ganhar visibilidade ao integrar o elenco da peça “Surto”, já encarnando Dona Hermínia. Desde então, sua carreira foi ascendente, participando tanto de novelas, como “Prova de Amor”, da Record, quanto em séries globais como “O Sítio do Pica Pau Amarelo”  “A Diarista” e “Sob Nova Direção”, na Globo.

Em 2006 estreou o espetáculo “Minha Mãe É Uma Peça, que ganhou uma adaptação para o cinema em 2013. Sua atuação lhe rendeu uma indicação ao Prêmio Shell de melhor ator. No teatro, também fez “Hiperativo”, dirigido por Fernando Caruso. Em 2011, participou do filme “Divã”, protagonizado por Lília Cabral, e tornou-se apresentador do “220 Volts”, no Multishow. Dois anos depois, estreou no sitcom “Vai que Cola”,  também no Multishow, e que ainda virou filme, em 2015. Foi neste mesmo ano, aliás, que começou a se relacionar com Thales.

Seu filme mais recente foi “Minha Mãe é uma Peça 3”, que chegou aos cinemas em dezembro de 2019 e foi um estrondoso sucesso. Comovente, e ao mesmo tempo engraçadíssimo, o longa mostra as reações de Hermínia ao saber que o ex-marido, Carlos Alberto (Herson Capri) é seu novo vizinho de porta, ao mesmo tempo em que tem que lidar com a chegada do neto, filho de Marcelina (Mariana Xavier), e o casamento do filho Juliano (Rodrigo Pandolfo).

Uma das cenas mais belas do filme é quando, num flashback, Dona Hermínia incentiva o filho a ir a uma festa temática do seriado “Sítio do Picapau Amarelo” vestido não como um personagem masculino, mas como Emília. Incomodava com os olhares dos colegas, Dona Hermínia sobe ao palco e arrasa, cantando “Emília (A Boneca Gente”, sucesso de Baby Consuelo em 1979, quando a personagem era interpretada, na telinha, por Reny de Oliveira.

RELAÇÃO COM BH

Paulo Gustavo costumava frequentar Belo Horizonte esporadicamente não só por motivos pessoais – a família do marido, Thales Bretas, mora aqui – mas profissionais. A última vez em que  se apresentou na capital mineira foi com o espetáculo “O Filho da Mãe”, em maio de 2019, no extinto KM de Vantagens Hall.

A produção resgatava, principalmente, a faceta de intérprete de Déa Lúcia, mãe de Paulo, que foi cantora na noite e tinha até um grupo.  No palco e acompanhando de um grupo de músicos, mãe e filho contaram causos e cantaram clássicos da música popular brasileira. Como sempre, o artista se apresentou para uma plateia lotada. 

Mas nem tudo foram flores na passagem de Paulo Gustavo por BH. Naquele mesmo ano, em janeiro, o artista passou por uma experiência um pouco desagradável. Na temporada de “Minha Mãe é uma Peça” no Palácio das Artes, o ar-condicionado pifou e a luz se apagou.

O comediante fez uma postagem na época afirmando que “até que o teatro esteja em totais condições de receber público e artista, nós não iremos mais nos apresentar nele”. E disse que realmente foi complicado encenar naquele momento e lamentou, sobretudo, o descaso com o público.

Relembre a luta do ator contra a Covid-19
Uma semana antes de ser internado com Covid, no começo de março, Paulo Gustavo cobrou, por meio das redes sociais, a imunização da população e pediu para as pessoas ficarem em casa. No Instagram, ele postou uma notícia sobre a lotação das UTIs em todo o país. “Cadê a vacina, meu Deus? Se liga na aglomeração, gente. Sair de casa apenas quem precisa trabalhar”. 

Embora a internação tenha ocorrido no dia 13 de março, a imprensa só foi comunicada da ocorrência dois dias depois, pela assessoria de imprensa do artista. “Paulo está internado por orientação médica. O ator segue em acompanhamento e agradece o carinho e apoio de todos por sua recuperação”, foi informado, em nota. Nas redes sociais, o ator e humorista não fez nenhuma postagem sobre ter sido contaminado pela doença. 

No domingo (14), no Instagram, ele parabenizou o marido, Thales Bretas, pelo aniversário. “Hoje é aniversário dele, do amoooooor da minha vida! Qualquer coisa que eu colocar aqui não será fiel ao que eu quero exatamente dizer para ele! Então, eu vou dizer ao vivo e aqui fica sendo apenas um post para dizer pro Brasil inteiro que eu sou loucamente apaixonado por você! Te amo”, escreveu.

Poucos dias depois de a internação se tornar pública,  o marido do ator, Thales Bretas, declarou que ele estava melhorando e agradeceu o carinho dos fãs. Mas no dia 21 de março, Paulo Gustavo precisou ser intubado, por estar com dificuldade para respirar. Na época, foi divulgado que o procedimento era uma precaução, e Bretas disse que era “mais um passo na cura da infecção”.

“(Paulo) foi sedado e intubado para que a cura consiga se estabelecer nos seus pulmões sem cansá-lo tanto com a falta de ar que o incomodava”, disse. “Estou calmo, confiante e tenho certeza de que será um passo importante para a melhora completa do nosso guerreiro!!! Ele que é jovem, saudável, sem comorbidades e supercuidadoso, está passando por isso”. 

No mesmo período, Susana Garcia, médica, dramaturga e diretora, fez um relato, em seu Instagram: “Todos os dias, antes de você ser intubado, você brincou com médicos e enfermeiros, fez piadas, todo mundo riu. Depois você se emocionou, falou com cada profissional da importância deles na sua vida, me olhou disse que me amava. Se despediu do seu marido que você tanto ama e disse: ‘Te amo. Já volto”, escreveu.

De início, o ator respondeu bem ao tratamento e teve uma evolução positiva nos dias seguintes. Porém, no dia 2 de abril, seu estado de saúde registrou uma piora, e ele acabou precisando mudar de tratamento e passou a respirar com a ajuda de ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea), uma espécie de pulmão artificial usado apenas em casos mais graves.

Dois dias depois, Paulo Gustavo precisou passar por uma pleuroscopia, para que a equipe médica pudesse verificar a condição de seus pulmões. Na ocasião, foi identificada uma fístula broncopleural, espécie de comunicação anormal entre os brônquios e a pleura. Ela foi corrigida. 

Em 7 de abril, o marido de Paulo contou que o ator teve que receber uma transfusão de sangue. Segundo ele, devido ao ECMO, o paciente ficou “anticoagulado” e perdeu “um pouco de sangue”. “Por isso precisou tomar algumas bolsas de sangue”, explicou.

Na mesma publicação, ele também incentivou as pessoas a irem doar sangue. Porém, dias depois foi realizada uma toracoscopia, na qual uma nova fístula broncopleural foi identificada e corrigida. De acordo com comunicado da assessoria de imprensa do humorista, o procedimento foi um sucesso.

No dia 11 de abril, o boletim médico dizia que a situação clínica do ator continuava crítica. “Todos os profissionais têm se empenhado incessantemente pela sua recuperação”, diz a nota publicada nas redes sociais. “As diversas complicações pulmonares já demandaram procedimentos invasivos como broncoscopias, pleuroscopias e colocação de dispositivos intrapulmonares”, continua o texto. “Às fístulas broncopleurais identificadas e tratadas somaram-se a complicações hemorrágicas, mas que vêm respondendo, de certa forma satisfatória, à reposição dos fatores da coagulação deficitários”.

Ainda neste dia, a irmã do humorista, Ju Amaral, usou o Instagram para repudiar notícias mentirosas que estavam sendo propagadas a respeito do estado de saúde do ator. “Imagine-se passando pelo momento mais difícil da sua vida, no qual seu irmão, a pessoa mais importante para você, está lutando pela vida. Você precisa ser forte, tirar forças de lugares que nem sabia que tinha, para apoiar a sua mãe, uma senhora de idade que teme pela vida de seu filho. Agora, imagine-se passar por isso, tendo que constantemente ler notícias enganosas, como por exemplo, que seu irmão perdeu a batalha”, desabafou ela, afirmando que entende que milhares de famílias estão passando pela mesma situação que a dela e fazendo um pedido à imprensa.

“Suplico aos jornalistas, que tenham empatia e deixem de espalhar notícias falsas buscando ganhar cliques ou visibilidade às custas de nossa angústia e a dos fãs. Cada mensagem ou ligação que recebemos de algum parente ou amigo que leu alguma fake news, buscando esclarecer os fatos, vem como uma flecha em nossos corações, já tão aflitos”, lamentou.

“Meu irmão vai voltar! Ele vai vencer esta luta, e se Deus quiser, logo voltará a fazer aquilo que faz de melhor: trará alegria para as casas de todos vocês. Tenhamos humanidade, tenhamos empatia. Força irmão, vc já conseguiu. Te amo pra sempre. Só vem!”, finalizou Amaral.

No dia 13, completou-se um mês da internação. Logo no dia seguinte, no Instagram, a atriz Mônica Martelli postou:  “Paulo Gustavo vai ficar tão feliz quando se recuperar e ver que o país inteiro estava torcendo por ele. Vocês são parte da recuperação do meu irmão Paulo Gustavo. Muito obrigada”, escreveu a atriz.

No dia 19, a  já citada Susana Garcia, 50, que é irmã de Mônica Martelli, publicou em suas redes sociais um relato sobre sua visita a Gustavo. “Meu querido. Ontem foi um dia muito especial com você. Assim que cheguei, comecei conversando com você e vi na hora que aumentou a sua frequência cardíaca e a respiratória. Te perguntei se você estava me ouvindo e pedi para você mexer a sua cabeça. Você mexeu duas vezes e tentou abrir a boca. Fiquei de mão dada com você e pedi pra você apertar a minha mão e você apertou fraquinho. Naquele momento, eu percebi que você estava conectado comigo e me ouvindo. Fiquei emocionada com vontade de chorar, mas eu não podia chorar. Respirei fundo e comecei a falar coisas alegres”, continuou. Ao longo do relato, ela fala sobre o que “conversou” com o ator e de como ele tem recebido carinho da família, fãs e equipe médica.

“Todos os enfermeiros e médicos conviveram com você por oito dias antes de você ser intubado. E todos te adoram. Uma enfermeira me disse uma coisa que me emocionou: ela falou que o comentário no hospital é que o dia que você sair, o corredor da UTI não será largo o suficiente pra receber todo mundo que estará te aplaudindo”, completou. Por fim, ela afirma que publicou o texto porque “deu muita vontade de compartilhar essa alegria e o seu progresso com todo mundo”. “Sei que daqui a pouco estaremos assim novamente”, diz sobre a foto escolhida, dos dois rindo juntos. “Até já!”, finalizou.

Na quarta, 21, Thales Bretas  compartilhou nos stories do Instagram uma celebração do terço pela saúde do ator e uma foto de uma página do livro “Minutos de Sabedoria”. O médico escolheu uma mensagem da página 88 do livro, ano do seu nascimento, para publicar na rede social. “Sua luz deve brilhar de dentro para fora. Procure manifestar a todos a luz interior que vibra em você, através dos seus atos e de suas palavras de compreensão e otimismo”.

 No dia 24, a atriz e humorista Tatá Werneck, 37,  foi perguntada por fãs, em suas redes, sobre o estado de saúde de seu amigo. “O Paulo está melhorando muito, graças a Deus, graças a Jesus Amado, obrigada, Senhor! E aos médicos, obviamente. Obrigada pelas orações gente. Estão, realmente, chegando até ele. Graças a Deus!”, respondeu.

No dia 25 de abril veio a  informação que uma nova pneumonia bacteriana havia sido detectada, mas que estava “sendo eficientemente tratada”. Já na segunda-feira (26), um boletim informava que Paulo Gustavo vinha apresentando sinais de recuperação. “Há cerca de sete dias não surgem complicações relevantes, fato que aumenta as nossas esperanças na boa recuperação do paciente. Entretanto, como em outros casos graves, ocorrem oscilações no estado geral, demandando reajustes nas medicações, na ventilação mecânica e na ECMO o que ainda determina a vigilância constante da equipe multiprofissional”.
No dia 30, Déa Lúcia Amaral, mãe do ator, publicou, nas redes sociais, um desenho do filho ao lado de Irmã Dulce. Ela pediu pela recuperação do ator e humorista e pelo fim da pandemia.

“Santa Dulce dos pobres, interceda junto a Jesus para a cura de Paulo Gustavo e de todos os doentes. Fim da pandemia”, escreveu ela. Dona Hermínia, da série de filmes “Minha Mãe É uma Peça”, é a personagem mais famosa criada por Paulo Gustavo, e foi inspirada em Déa.
Ingrid Guimarães chegou a dizer que Paulo Gustavo era paranóico com os cuidados. “Ele estava em sua casa (na região serrana do Rio) e se cuidava mesmo”.

Fonte: Agencia Brasil