Prefeito de Guarulhos pede ao governo federal que aeroporto seja fechado

A ineficácia no controle e monitoramento da entrada de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil levou o prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa, a solicitar ao governo federal o fechamento temporário do aeroporto internacional da cidade, principal porta de entrada de viajantes oriundos do exterior.

O prefeito encaminhou um ofício ao Ministério da Saúde, Anvisa, Ministério Público Federal, GRU Airport, concessionária que administra o aeroporto, e para a prefeitura de São Paulo. O objetivo do fechamento por pelo menos 15 dias é impedir a entrada de passageiros infectados com outras variantes do coronavírus, principalmente a indiana.

“É o tempo para garantirmos uma maior imunização de nossa população e dos possíveis contactantes de quem chega ao Brasil por Guarulhos. Depois disso, poderíamos reabrir nosso aeroporto”, disse o prefeito em videoconferência com a participação de autoridades do governo federal.

Um passageiro retornando da China desembarcou em Guarulhos, seguiu para o Rio de Janeiro e, de lá, para Campo dos Goytacazes, no interior fluminense. Não é feito o controle e monitoramento de todas as pessoas que tiveram contato com esse passageiro.

No aeroporto de São Luis, capital do Maranhão, estado com seis pessoas infectadas pela variante, o Ministério da Saúde começou a fazer testagem em massa da população. A proposta é fazer 500 testes por dia para monitorar possíveis infectados pelo coronavírus.

Por causa do risco de entrada de pessoas infectadas com a variante indiana, o governo brasileiro vetou em caráter temporário voos internacionais com destino ao Brasil com origem ou passagem pela Índia.

A portaria esclarece que a previsão não se aplica a voos de cargas desde que os trabalhadores estejam paramentados com equipamentos de proteção e que a tripulação observe os protocolos sanitários. A exceção leva em consideração eventuais transportes de insumos para fabricação de vacinas contra a covid-19 ou doses prontas do imunizante, importações que já ocorreram em datas anteriores neste ano. 

O documento do governo federal aponta ainda que fica suspensa a autorização para embarque de viajante procedente ou com passagem pela Índia. São previstas liberações excepcionais para brasileiros nato ou naturalizados, imigrante com residência definitiva, entre outras previsões específicas. Para essas pessoas, a determinação é de realização de quarentena por 14 dias. 

Fonte: Agencia Brasil