Boi é visto nadando em praia do litoral catarinense; suspeita é de maus tratos

Imagens que circularam no último fim de semana nas redes sociais mostram um boi nadando em Porto Belo, cidade do litoral norte catarinense. Segundo o GOR (Grupo de Operações e Resgate), associação que atua no combate aos maus tratos contra animais na região, o bicho estava sendo perseguido durante uma farra do boi no município.

Considerada inconstitucional e proibida pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em 1997, a prática consiste em soltar o boi em uma área aberta, no meio de uma multidão, que tenta, usando paus, chicotes e objetos cortantes, vencer o animal pelo cansaço ou feri-lo até a morte.

Segundo a decisão do Supremo, tomada com base em ação impetrada por entidades de proteção a animais, a prática é cruel com os animais e coloca em risco a integridade física dos participantes.

Presidente do GOR, Pedro Henrique da Silva diz que o animal chegou à cidade na última quinta-feira (27) e desde então tem sido maltratado.

Um pouco antes de o vídeo começar a circular, segundo ele, a associação recebeu denúncias informando que os farristas haviam deixado o boi cair na água. “Estavam tentando cercá-lo com os barcos para retirá-lo e escondê-lo novamente na mata”, afirmou.
Silva diz, ainda, que a associação recebeu mais de 15 denúncias contra o grupo. “Quando a equipe vai ao local, eles escondem o animal. Só conseguimos capturar quando está na via. Na área de mata não conseguimos saber exatamente onde escondem”, afirma.

De acordo com ele, serão realizadas operações nos próximos dias para localizar o boi. A Polícia Civil investiga o caso.

Segundo a lei 9.605, é crime “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”. A pena é de três meses a um ano de prisão e multa.

Fonte: Agencia Brasil