Tiggo 3X, conheça o novo SUV da Caoa Chery

A Caoa Chery ampliou seu portfólio de utilitários esportivos com o Tiggo 3X, chegando assim ao quinto produto nessa categoria. Esse novo veículo é uma evolução do Tiggo 2, que continua em linha. No entanto, ele corrige diversos pontos divergentes do antecessor.

São duas versões: a Plus (R$ 100.990) e a Pro (R$ 105.990). No entanto, no lançamento, a empresa está praticando um preço promocional e os veículos custarão, neste primeiro momento, R$ 6 mil a menos. Externamente, a principal diferença está na grade. No veículo testado, como aparece nas fotos, o símbolo da empresa parece estar flutuando.

A opção mais cara oferece itens como partida por botão, retrovisores externos com rebatimento elétrico, faróis em LED, câmera de ré e acabamento dos bancos em couro sintético. Em relação aos equipamentos, a falha está na oferta de apenas dois airbags em qualquer configuração.

Dê play e confira a avaliação em vídeo do Tiggo 3X

Sob o capô, o Tiggo 3X é equipado com um novo motor 1 litro de três cilindros que entrega 98 cv de potência com gasolina e 102 cv com etanol, sempre aos 5.500 rpm. O torque máximo, obtido aos 2 mil giros, é de 16,8 kgfm com gasolina e 17,1 kgfm com etanol. O câmbio automático é do tipo CVT, que simula até nove velocidades.

O fabricante diz que investiu mais de cinco mil horas de desenvolvimento especificamente para a calibração do motor e da transmissão, com o objetivo de entregar ao consumidor nacional uma experiência ao volante que atendesse às expectativas. 

Ao todo, o projeto de desenvolvimento do modelo para o Brasil levou cerca de dois anos e contou com mais de 150 mil quilômetros rodados em testes veiculares e 1.500 horas de desenvolvimento em dinamômetro de motor. O modelo é produzido em Jacareí, no interior de São Paulo. 

Experiência
O Tiggo 3X é um veículo agradável de guiar. É fácil conseguir uma boa posição ao volante, que só falha por não oferecer um ajuste de profundidade para a direção. A direção tem assistência elétrica e é bem calibrada, transmitindo bom controle do veículo.

Na avaliação, o destaque foi para o comportamento em curvas. Rodei por estradas sinuosas e o comportamento foi bem adequado para um modelo dessa categoria. O motor de três cilindros é um dos que oferecem menor vibração interna e as respostas do acelerador são boas, principalmente com o modo Sport ativado. É um remapeamento do motor, mas a direção não muda o peso.

Os freios a disco nas quatro rodas transmitem segurança. Esse tipo de freio facilitou a introdução de um assistente de descida, de série desde a versão de entrada. O equipamento funciona bem e poderá te ajudar em uma descida íngreme com piso de pouco atrito.

Ascensão
A associação entre o grupo brasileiro Caoa e o fabricante chinês Chery, que começou no final de 2017, está em ascensão. Comercialmente, a Caoa Chery fechou o mês de maio na décima colocação entre as marcas de maior participação no Brasil. 

3.186 veículos da empresa foram emplacados no último mês, o que corresponde a 2,23% do mercado brasileiro de automóveis, único segmento que atua. Esse desempenho coloca a Caoa Chery na frente de marcas tradicionais, como Peugeot, Ford, Citroën e Mitsubishi, por exemplo.

Atualmente, a atuação da marca na Bahia está concentrada na Capital e em Feira de Santana. Mas até o final deste ano a empresa irá ampliar sua rede de concessionárias, tanto no interior, quanto na região metropolitana de Salvador. Serão quatro novas lojas: Barreiras, Itabuna, Lauro de Freitas e Vitória da Conquista.

*O JORNALISTA VIAJOU A CONVITE DA CAOA CHERY
 

Fonte: Correio