Médico detido no Egito publica 'pedido de desculpas' ao lado da vítima

Depois de ser detido no Cairo, capital do Egito, por assediar verbalmentente uma vendedora egípcia em Gizé, o médico e influenciador de Porto Alegre Victor Sorrentino divulgou nas redes sociais um vídeo pedindo desculpas ao lado da vítima do assédio. “Meu nome é Victor Sorrentino, eu estou gravando esse vídeo para pedir desculpas por ter errado em gravar um vídeo sem autorização da senhorita e falando palavras feias. Quero deixar claro que tenho o maior respeito pelo povo egípio em geral, especialmente as mulheres egípcias”, declarou o médico, que era acompanhado de um tradutor em árabe. “Eu peço as minha mais sinceras desculpas a senhorita Him”, acrescentou.

Na gravação divulgada neste sábado (5), ao lado do assediador, a vendedora respondeu dizendo que aceita as desculpas do médico brasileiro. “Como eu represento as mulheres e o povo egípicio, como somos um povo hospitaleiro e carinhoso que recebemos a todos os visitantes de todas as partes do mundo… Para mim é suficiente que ele peça desculpas e eu vou aceitar suas desculpas”, afirma a mulher.

Sorrentino foi detido no último domingo, 30 de maio, depois de publicar um vídeo em que assediava verbalmente a vendedora local. Nas imagens divulgadas no Instagram e apagadas em seguida, o médico perguntava à mulher em português: “Elas gostam é do bem duro. Comprido também fica legal, né?”. No que a mulher sorri sem graça ao não entender o que o médico dizia.

A prisão foi fruto de um movimento iniciado por brasileiros e expandido por ativistas feministas egípcias. Essa articulação fez com que as ofensas verbais contra a vendedora de papiros chegassem a autoridades do país, que agora acusam o influenciador formalmente e estenderam sua prisão.

Diante da repercussão do caso e da prisão do médico, a família de Sorrentino no Brasil chegou a divulgar uma carta com um pedido de desculpas.

“Com relação aos recentes eventos relacionados ao caso do médico brasileiro Victor Sorrentino no Egito e aos danos materiais e morais causados a todos aqueles que foram afetados. Nós, a família de Victor Sorrentino, em nome de Victor, oferecemos um pedido de desculpas oficial à vitima, sua família e a todos aqueles que foram atingidos pelo ocorrido. A todo amado povo egipicio e a todos os oficiais do Estado do Egito nós oferecemos nossos sentimentos mais sinceros e nos comprometemos a reparar todos os danos morais e materiais. Pedimos que aceitem nosso pedido de desculpas”, diz a carta.

O médico foi formalmente acusado de expor a vítima a insinuação sexual verbal, cuja pena é de seis meses até três anos de prisão e multa não inferior a EGP 5.000 (cerca de R$ 1.643), ou uma das duas penalidades; transgressão contra os princípios e valores familiares da sociedade egípcia, com pena mínima de seis meses de prisão e multa não inferior a EGP 50.000 (cerca de R$ 16.429), ou uma das duas penalidades; violação da santidade da vida privada da vítima e uso de conta digital privada para cometer esses crimes.

 

Fonte: Agencia Brasil