Vitória demite Rodrigo e anuncia outro ídolo como técnico: Ramon

O Vitória demitiu o técnico Rodrigo Chagas na manhã desta terça-feira (8), dia seguinte à derrota para o Náutico por 1×0, no Barradão, pela 2ª rodada da Série B. O substituto já está definido e anunciado oficialmente: é Ramon Menezes, outro ídolo do clube.

Uma curiosidade é que Ramon e Rodrigo jogaram juntos no Leão e, inclusive, foram vendidos também juntos para o Bayer Leverkusen, da Alemanha, em 1995. Agora o ex-camisa 10 chega para ocupar a função deixada pelo ex-camisa 2.

Rodrigo Chagas comandou o Leão em 30 partidas, com 11 triunfos, 13 empates e seis derrotas, um aproveitamento de 51%. Ele treinava a equipe sub-20 até o ano passado, quando foi promovido a técnico interino entre a saída de Eduardo Barroca e a chegada de Mazola Júnior. Saiu-se bem, ganhou a confiança da torcida e retornou ao comando do time, em dezembro, dessa vez efetivado no cargo, após a demissão de Mazola. 

Após concluir a Série B 2020 (que terminou em janeiro deste ano), Rodrigo iniciou a temporada 2021 no cargo e participou da formação do elenco, mas não alcançou os objetivos traçados. Este ano, o Vitória foi eliminado nas semifinais da Copa do Nordeste e não conseguiu passar da fase classificatória no Campeonato Baiano. Na Série B, foram apenas duas rodadas disputadas, com empate de 1×1 com o Guarani antes da derrota para o Náutico que abreviou sua passagem. 

Já Ramon Menezes teve seu último trabalho no Vasco, no Brasileirão do ano passado. O time iniciou a competição bem, na metade de cima da tabela, e Ramon foi demitido quando o cruzmaltino estava em 10º lugar. Ao fim da temporada, o Vasco acabou rebaixado para a Série B.

O treinador de 48 anos vai estrear no Vitória diante do Internacional, quinta-feira (10), pela Copa do Brasil. Após perder no Barradão por 1×0, o rubro-negro precisa vencer no Beira-Rio, em Porto Alegre, por dois gols de diferença para classificar às oitavas de final. Se ganhar por um gol, leva a decisão para os pênaltis. 

Em novembro de 2018, de passagem por Salvador, Ramon concedeu uma entrevista ao CORREIO na qual afirmou: “Eu tenho muita convicção que, no momento certo, eu vou voltar”. Você pode ler a entrevista clicando aqui.

Fonte: Correio